Imagine um técnico em eletrônica que, recém-saído de um estado de coma mantido por décadas, reassume seu ofício para voltar a consertar TVs de tubo em preto e branco, com acabamento em madeira de lei e filamentos de válvulas que demoram até 30 segundos para esquentar e mostrar a imagem.

Com certeza, ao se deparar com as novas TVs “Ultra High Definition” coloridíssimas, com largura de 10 cm, que exibem em uma única imagem quase 8,3 milhões de pixels, com som de cinema, e integradas aos principais dispositivos móveis do mercado, ele entrará em pânico. E não é para menos.

Pois na área de TI, a situação é rigorosamente a mesma. Impulsionado pelo infinito de possibilidades trazidos por conceitos como Big Data, Internet das Coisas, mobilidade e Cloud Computing, o setor de tecnologia da informação se reinventa a cada dia. E quem almeja sucesso na carreira de TI não pode nem pensar em se acomodar. Afinal, há um novo mundo todos os dias diante de nós.

Portanto, hoje iremos te dar algumas dicas excepcionais para não se deixar entrar, sem perceber, no corriqueiro e temido “coma profissional”. Continue lendo e confira!

1. Acompanhe blogs especializados e periódicos científicos, e baixe teses e dissertações

Em primeiro lugar, parabéns!  Você já começou bem — afinal, se está aqui é porque tem interesse em se manter conectado com as mutações do mundo da computação. Visitando blogs especializados como este, você estará sempre por dentro das mais importantes novidades da área de TI.

Aqui você sempre encontrará novas linguagens de programação, Design ThinkingTI bimodal, modelos de SLA, aplicações de data mining, DevOps entre muitos outros temas relevantes para impulsionar sua carreira em tecnologia da informação.

Além dessa, outra dica essencial é assinar periódicos científicos, que irão prover a você uma perspectiva analítica e técnica do mundo da tecnologia, além de indicar possíveis tendências no setor. E o mesmo vale para dissertações de mestrado e teses de doutorado, os quais irão alinhar sua experiência com uma base teórica realmente sólida.

2. Resista ao canto das sereias: fuja dos “brain dumps”

Não se engane: decorar não é aprender. A doce facilidade de receber uma certificação com base em truques de memória pode custar caro no futuro: você poderá até entrar no mercado com inúmeras certificações, mas não saberá levantar requisitos funcionais e não funcionais do seu projeto, ou identificar a razão de incidentes, compreender códigos, lidar com banco de dados relacional, entre outros percalços.

Nesses casos, escolher a lei do mínimo esforço não o atualizará. Então, aprofunde seus conhecimentos misturando teoria e prática, em um jogo persistente de tentativa e erro até que seu cérebro seja condicionado a pensar o sistema em seus múltiplos caminhos, erros e nuances. Procure entender os porquês — nunca decorar os procedimentos.

3. Faça uma especialização, MBA ou mestrado profissional

Por mais autodidata que você seja, nunca subestime o poder revolucionário do ambiente acadêmico em sua carreira de TI.

Afinal, compartilhar suas dores e conhecimentos com profissionais de outras empresas, receber orientações de professores — que, em geral, são gestores de TI bem-sucedidos em multinacionais — e ter acesso a todo o universo de informações trazidas por um bom curso de pós-graduação podem elevar o seu know-how, melhorar o seu CV e amadurecer sua trajetória, tornando-o mais apto para lidar com a imprevisibilidade do dia a dia de um departamento de TI.

4. Busque um mentor

Formação acadêmica e dedicação são fundamentais, mas nem sempre são o suficiente para semearem em você o “estado de arte” na TI. Muitas vezes o profissional necessita de um acompanhamento mais personalizado — algo que os chamados mentores podem fazer com perfeição.

Basicamente, os mentores profissionais são especialistas em sua área de interesse, com extensa vivência no mercado e que podem encontrar com maior rapidez os erros cometidos por você em seu cotidiano. Na contratação desse tipo de profissional, provavelmente serão acordados diversos compromissos, como reuniões, feedbacks e sugestões frequentes que possam tornar o trabalho do profissional de TI mais eficaz.

Na carreira de TI, por exemplo, encontrar um mentor com fortes habilidades de programação pode abrir espaços para que você conheça melhor as linguagens mais importantes do mercado, as novidades sobre o tema, os macetes e até os cursos mais indicados para se tornar um especialista no assunto.

5. Tenha metas de certificação

Você trabalha com redes? Então, não pode nem sonhar em não ter CCNA R&S (Cisco Certified Network Associate Routing and Switching), a certificação do fabricante Cisco que valida a qualidade do profissional em lidar com os equipamentos da empresa — os mais modernos e utilizados no planeta quando o assunto é tecnologia de redes.

E o que dizer da certificação ITIL V3, a mais cobiçada do mercado e que mensura a expertise do profissional nos processos de TI de uma empresa? Poderíamos falar ainda de CISSP (na área de segurança da informação), da Oracle Certified Professional Advanced PL/SQL, MCSD (desenvolvimento de aplicações web em ambiente Windows) e da EMC — certificação abrangente, que valida a habilidade do profissional em gerenciar a infraestrutura de informações na empresa por meio de data Science, computação em nuvem, virtualização, etc.

De fato, a lista é grande, e vale a pena ser conferida!

De qualquer forma, o ideal é que o desenvolvedor, o analista de sistemas, o gestor de TI ou profissional de outras vertentes ligadas à computação estabeleça uma meta anual/bienal de certificações a serem conquistadas. Essa estruturação dos objetivos serve como uma bússola para indicar o que falta percorrer para atingir seu target!

6. Amplie sua visão de mundo por meio de um intercâmbio

Bom, estudar no exterior é o sonho da maioria dos brasileiros, certo? Contudo, o que muita gente ignora é que algumas das melhores instituições de ensino superior do mundo oferecem bolsas, inclusive para cursos de aperfeiçoamento em TI.

E se você não tiver recursos para atravessar o continente, aproveite as universidades estrangeiras que oferecem cursos on-line! Já ouviu falar, por exemplo, na Udacity? Trata-se de uma espécie de universidade do Vale do Silício — uma instituição norte-americana de ponta na área de tecnologia e que trabalha com os chamados “nanodegrees” (isso mesmo, uma espécie de “nanograduação” ou “graduação em curtíssimo tempo”!).

Web e mobile, Big Data e machine learning são algumas especialidades dessa instituição que pode ser o início de uma mudança radical em seu currículo. Nada mal ter cursos internacionais sem sair do Brasil, não é?

E então, gostou do post? Agora que você já sabe por onde começar a aprimorar sua trajetória na área de TI, aproveite para descobrir também os 5 termos que todo gerente de TI precisa conhecer!