O DevOps é uma das maiores tendências no TI atualmente, mas ainda é muito incompreendido entre os gerentes de TI. Sob a pressão constante para aumentar a produtividade da sua equipe ou reduzir custos, testar novas alternativas é muito atrativo para um gestor.

No entanto, essas soluções não são instantâneas, não resolvem todos os tipos de problemas e precisam ser aplicadas corretamente. Caso o gestor não tenha conhecimento adequado destas práticas, dificilmente ele verificará resultados palpáveis ao mudar a metodologia de desenvolvimento de software.

A própria classificação do que é DevOps enfrenta certos impasses. Embora seja muito definido como um modelo para desenvolvimento de software, também pode ser descrito como movimento de mudança da cultura organizacional. No post de hoje, vamos desmistificar alguns fatos sobre DevOps!

Mito 1: DevOps requer que o Gerente de TI contrate “engenheiros de DevOps”

Um dos enganos mais comuns sobre o DevOps é que se pode simplesmente contratar especialistas no assunto para a sua equipe e ele estará implementado. Porém, somente contratar esses profissionais não vai fazer grandes mudanças na sua equipe e a formação de profissionais “em DevOps” é muito questionada.

Para que ele seja efetivamente aplicado, é necessário que haja uma mudança na cultura organizacional da sua equipe, de modo a integrar os engenheiros de software e os operadores. Sendo assim, quando o gerente de TI deseja implantar DevOps em sua equipe, ele deve principalmente promover a comunicação interna e integração entre os diferentes setores.

Para auxiliá-lo, uma consultoria especializada pode identificar formas de incentivar ações que mudem a cultura organizacional e recomendar ferramentas que ajudem no uso de novas metodologias de desenvolvimento de software. Ainda assim, a mudança na forma de trabalho da equipe depende mais do empenho de todos em aplicar seus princípios no dia a dia.

Mito 2: DevOps só pode ser implantado com Cloud Computing

Por promover formas de trabalho com maior comunicação e ser usado por diversas companhias focadas em desenvolver ferramentas para Internet, há uma crença de que o ambiente ideal para a implantação do DevOps é a nuvem, já que essas organizações usam sistemas de Cloud Computing.  Entretanto, não existe essa relação de obrigatoriedade e esse modelo de desenvolvimento pode ser aplicado em diversos tipos de ambiente de trabalho, mesmo os mais conservadores.

Outro motivo para esse mito ser forte entre os gestores é que o Cloud Computing também é uma das maiores tendências de TI na atualidade. Mesmo assim, ainda é algo novo e mal compreendido por grande parte dos gerentes da área.

A nuvem pode oferecer diversas vantagens para o uso de DevOps, como o compartilhamento de recursos e mobilidade entre os membros da equipe, mas, se o serviço for mal implantado, pode causar mais problemas do que soluções.

Mito 3: DevOps não funciona em conjunto com outras metodologias

É muito comum que os profissionais considerem o DevOps como o oposto de metodologias de desenvolvimento de software mais tradicionais, como o ITIL, porque esse movimento de mudança da cultura organizacional é mais usado em conjunto com metodologias de desenvolvimento ágeis. Na maioria dos casos, é aconselhável trabalhar com duas metodologias dentro de uma mesma equipe de TI, já que cada uma é mais adequada a um tipo de função.

Essa forma de trabalhar com diferentes metodologias em uma equipe é chamada de TI Bimodal. Enquanto a parte da equipe que precisa garantir maior estabilidade no desenvolvimento trabalha com metodologias mais tradicionais, a parte focada em entregar atualizações usa metodologias ágeis. O DevOps entra na integração entre as diferentes partes da equipe, de modo a promover um trabalho conjunto e harmônico.

Mito 4: DevOps não pode ser usado no outsourcing

Como um dos principais fundamentos do DevOps é promover maior integração e comunicação dentre os diferentes setores da equipe de TI, fazer outsourcing de serviços pode parecer desfavorável para esse modelo de desenvolvimento.

Na realidade, o DevOps é uma das melhores soluções na hora de fazer o outsourcing de TI, uma vez que deixar a equipe externa trabalhar isoladamente é um dos erros mais comuns na hora de terceirizar serviços.

Fazer o outsourcing de certas tarefas pode ser uma ótima forma de reduzir custos, aumentar a produtividade e ter uma mão de obra especializada. Ao fazer a terceirização em conjunto com o uso de DevOps, é possível maximizar o desempenho de ambas as equipes ao assegurar a compatibilidade entre os ritmos de trabalho e a colaboração entre as duas.

Mito 5: DevOps só pode ser aplicado em empresas novas

Devido ao fato de DevOps ter começado a ser adotado a partir de 2009, muitos gerentes de TI pensam que não é possível aplicá-lo em empresas mais tradicionais. Assim como no caso do Cloud Computing, essa crença também é causada pelo fato de que a maioria das empresas que adotam o DevOps são organizações novas e com foco em Internet.

Na verdade, o DevOps pode ser usado na maioria dos tipos de empresa, seja ela usuária de novas linguagens de programação, como Ruby, ou das mais tradicionais, como C++ ou Java.

Como um modelo de desenvolvimento, ele depende mais de mudanças na cultura organizacional do que do uso de ferramentas de gerenciamento específicas ou de linguagens de programação. Essas ferramentas são feitas para auxiliar na implantação da metodologia e no monitoramento, especialmente no caso de projetos maiores e mais complexos.

Mito 6: DevOps é a solução para todos os problemas da sua empresa

Em meio à popularização das metodologias ágeis, muitos gerentes de TI decidem aderir ao DevOps pensando que essa pode ser a solução para todos os problemas. Nesses casos, além das altas chances de ele não ser aplicado corretamente, os resultados alcançados serão abaixo do esperado.

Como qualquer modelo de desenvolvimento, o DevOps possui algumas limitações quanto ao seu escopo. Ele se propõe especificamente a aumentar a integração entre as equipes de desenvolvimento e operações, de modo a melhorar a rapidez e a qualidade da entrega dos produtos.

No entanto, essa mudança na cultura organizacional não vai resolver problemas que fazem parte exclusivamente do setor de operações ou de desenvolvimento de software. Por isso, é importante também analisar as formas como estão sendo feitos os processos, a utilização das ferramentas de monitoramento e o controle de qualidade.

Caso haja falhas em algum desses pontos, é bom considerar outras mudanças que podem ser feitas neles antes de mudar o modelo de desenvolvimento. Uma consultoria de TI pode ajudar a identificar soluções para esses problemas e verificar como a mudança da cultura organizacional pode contribuir para a sua equipe.

Esclarecemos suas dúvidas sobre o DevOps? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e aproveite para nos seguir também no Facebook, Twitter, LinkedIn e Youtube!