fbpx

Vai contratar um outsourcing de TI? 6 erros que você não pode cometer

Outsourcing é uma prática que consiste em delegar tarefas da sua organização a uma empresa terceirizada. Atualmente, muitas corporações praticam isso com relação à TI, uma vez que este setor se tornou imprescindível, mesmo não sendo o principal componente dos negócios. Apesar da semelhança, o outsourcing de TI se difere da prática tradicional da terceirização: a forma de avaliação da empresa contratada se dá pelos Acordos de Níveis de Serviço, e não pela quantidade de funcionários ou ferramentas alocadas.

Esta diferença na forma de avaliação torna os contratos mais complexos, já que é preciso estabelecer estes indicadores e a forma de pagamento. Contudo, esta forma de acordo também permite maior lucro e agregação de valor aos serviços porque é voltado para os resultados alcançados.

Neste post, vamos te ajudar a evitar seis dos erros mais comuns na hora de contratar um serviço de outsourcing de TI!

Erro 1: Fazer o outsourcing das principais atividades da organização

Como dissemos anteriormente, muitas empresas optam por realizar o outsourcing de TI devido ao fato de esse tipo de serviço não ser o seu core business, ou seja, não estar no cerne do seu negócio. No entanto, isso não significa que estas organizações devam substituir completamente o seu setor de TI ou que empresas de TI não podem optar por terceirizar alguns de seus setores. Mas, para evitar problemas, deve-se tomar cuidado para não terceirizar os principais serviços da empresa.

Esta medida pode ser auxiliada por uma consultoria e serve para manter um controle mais próximo destes serviços, de modo a reduzir os riscos tomados ao terceirizar algo dentro da sua empresa. Portanto, antes de realizar um contrato de outsourcing de TI, é necessário identificar quais atividades podem ser beneficiadas por uma mão de obra e infraestrutura mais especializada e não precisam de um acompanhamento tão próximo. Um bom exemplo deste tipo de atividade são as de Service Desk, de pesquisa e de apoio à tomada de decisão. Os riscos da terceirização podem ser ainda menores seguindo algumas das medidas que iremos discutir no próximo ponto.

Erro 2: Selecionar uma empresa que não é qualificada

Uma das principais vantagens do outsourcing de TI é o acesso a bons profissionais e a uma boa infraestrutura com um custo de contratação reduzido. Para assegurar isso, é necessário contratar empresas que sejam qualificadas e tenham experiência na execução deste tipo de serviço. Consequentemente, o serviço que será contratado não é necessariamente o mais barato.

Antes de contratar qualquer serviço de outsourcing, é necessário localizar as demandas dentro da própria organização. Em seguida, deve-se pesquisar entre as diversas empresas do mercado acerca do serviço específico que você busca. Enquanto isso, também é necessário manter um diálogo constante com a própria equipe de TI da sua empresa, o que ajuda tanto nas etapas anteriores, quanto em mantê-los cientes do processo pelo qual a organização está passando.

Erro 3: Deixar de integrar a equipe de TI com a terceirizada

Não é porque os funcionários do serviço contratado na empresa terceirizada são especializados que os funcionários da atual equipe de TI podem deixar de se qualificar. Pelo contrário, para haver uma melhora no desempenho e na velocidade do serviço, é imprescindível que os funcionários da organização saibam como trabalhar e usufruir bem dos serviços terceirizados.

Esta integração entre a equipe de TI da organização e a empresa terceirizada pode ser facilitada por certas práticas. Uma das formas de integrar essas equipes é o TI Bimodal, que consiste em duas equipes com modos de trabalho diferentes: uma focada em respostas rápidas (geralmente a terceirizada) e outra focada em um ritmo de trabalho mais estável e estruturado. O TI Bimodal pode ser implementado em conjunto com o DevOps, uma metodologia de trabalho que objetiva a integração entre os profissionais de infraestrutura e os desenvolvedores, trazendo mais eficiência à equipe.

Erro 4: Cortar a equipe de TI atual da empresa

No ponto anterior, foi frisada a importância da integração entre as duas equipes de TI: a terceirizada e a interna. Isso nos leva à importância da manutenção de uma equipe de TI dentro da própria empresa, mesmo com uma equipe de profissionais terceirizados.

Muitas empresas, após contratarem um serviço de outsourcing de TI, começam a dispensar profissionais da equipe prévia para cortar gastos. No entanto, isso pode levar à insegurança dos funcionários e à precarização dos serviços.

Erro 5: Definir mal o Acordo de Nível de Serviço no contrato

Assim como mencionamos no início deste post, um ponto central dos contratos de outsourcing de TI é o estabelecimento do Acordo de Nível de Serviço (tradução do termo Service Level Agreement, ou SLA). Este documento define as responsabilidades da empresa terceirizada, estabelecendo normas acerca da política de dados e da segurança da informação, por exemplo. Caso alguma cláusula do contrato seja desobedecida, esse documento também prevê multas para a empresa contratada.

Por meio do SLA, a organização consegue não só estabelecer padrões para as atividades realizadas pela empresa terceirizada, como também reduzir os possíveis custos em decorrência de imprevistos. Esta forma de contratação permite que a empresa deixe para a terceirizada a responsabilidade da contratação e da alocação de recursos.  É importante que este documento passe por constante revisão para identificar o que é ineficiente e o que está funcionando.

Erro 6: Desconsiderar a implementação de monitoração remota

Uma das questões centrais para todo gestor de TI é a segurança das informações da empresa. Essa preocupação, muitas vezes, pode levá-lo a associar a monitoração remota de certos serviços à insegurança, levando a preferir serviços internos e mais custosos. No entanto, a terceirização e a monitoração remota não são sinônimos de falta de segurança da informação, assim como a monitoração interna não assegura total segurança da informação.

Além disso, a relação de confiabilidade entre a organização e a empresa terceirizada deve ser estabelecida pelo SLA, que define os padrões para o uso dos dados. Sendo assim, é possível estabelecer um equilíbrio entre os custos de manutenção do serviço de monitoramento e os riscos com relação à segurança da informação presentes no outsourcing de serviços, como Service Desk para um trabalho de Gestão de Riscos.

Gostou do post? Não se esqueça de compartilhá-lo nas redes sociais e de conferir também o nosso post explicando mais sobre o outsourcing de TI!

Outsourcing de TI? Podemos ajudá-lo!

2016-08-04T08:00:21-03:00Categories: Artigos|Tags: , , , |0 Comentários

Deixar Um Comentário