Dando sequência à série de artigos sobre os principais conceitos do COBIT 5, neste artigo iremos apresentar o primeiro princípio do COBIT 5:

  • Satisfazer necessidades das partes interessadas.

O primeiro princípio implica que o COBIT 5 fornece todos os processos e habilitadores necessários para suportar a criação de valor  através do uso da TI (pode-se interpretar criação de valor como geração de benefícios). Este princípio está intimamente alinhado com o conceito de longa data chamado alinhamento estratégico. A convicção de que um componente núcleo da governança de TI é atingir o alinhamento estratégico entre TI e o resto da organização é um elemento crítico do COBIT. Entretanto, sabemos que há um contínuo desafio para as organizações em descobrir como atingir o tal alinhamento.

Para auxiliar as organizações a alavancar o alinhamento estratégico, os desenvolvedores do COBIT realizaram uma pesquisa para fornecer orientações na compreensão de como as metas empresariais direcionam metas de TI relacionadas e vice-versa. Esta pesquisa foi baseada em entrevistas detalhadas e avaliações especializadas em diferentes setores. Então, uma lista genérica de metas empresariais, metas de TI relacionadas e seus inter-relacionamentos foi estabelecida. Você pode consultar esta tabela no framework COBIT 5, que é gratuito e pode ser obtido no site da ISACA, mediante cadastro.

Este cascateamento constitui o ponto de entrada principal do COBIT 5. Ele sugere que as organizações devam começar analisando o alinhamento estratégico/TI através da definição e correlação de metas empresarias e metas de TI.

O COBIT 5 utiliza o termo “metas empresariais” para sinalizar explicitamente que o framework inclui empresas orientadas, ou não a lucro, e governamentais. Adicionalmente, o COBIT 5 fala sobre metas de TI.

No COBIT 5, a importância das metas de TI caminham para o foco principal nos seus habilitadores, como processos de gerenciamento e governança.

No próximo artigo o assunto será o uso do Balanced Scorecard (BSC) como facilitador de um processo de medição para verificar se as necessidades das partes interessadas estão sendo atendidas.