A queda de sistemas, além de gerar custos adicionais com manutenções não programadas, pode afetar diretamente a produtividade do negócio, fazendo com que ele também deixe de ganhar dinheiro. A inoperabilidade deve ser combatida com força total. Mas, primeiro, você precisa saber quais são as causas de indisponibilidade de sistemas mais comuns para cortar o mal pela raiz.

Ficou interessado no assunto? Então, descubra a partir de agora as principais falhas e como resolvê-las!

1. Acidentes e desastres naturais

Data Centers locais costumam ter muitos softwares instalados e operando por meio de servidores físicos nas próprias instalações da empresa. Se ocorrer acidentes, como um incêndio, todos os dados e sistemas são perdidos. Além disso, não dá para lutar contra as forças da natureza: uma simples enchente, por exemplo, pode colocar tudo a perder rapidamente.

Para resolver isso, o ideal é migrar a infraestrutura de TI para a nuvem e adotar um plano de recuperação de desastres. Ao contar com uma ferramenta de desenvolvimento de softwares, prefira uma que permita o armazenamento de scripts e outras informações na nuvem.

2. Falhas no serviço de terceiros

Muitos serviços de TI terceirizados fogem ao controle da empresa e, quando o sistema sai do ar por algum motivo, ela fica completamente dependente do suporte. Nesses casos, contar com suporte imediato e disponível a qualquer hora pode fazer toda a diferença no combate à indisponibilidade de sistemas.

Também é recomendado possuir uma equipe de profissionais dedicados no monitoramento do funcionamento dos sistemas em tempo real, localizando falhas com antecedência e corrigindo-as imediatamente. Para isso, é necessário contar com uma ferramenta que integre os desenvolvedores e a operação.

3. Logins e senhas sem acesso

Ocasionalmente, mesmo que o SQL esteja intacto, logins e senhas podem apresentar falhas por não obterem as permissões de acesso corretamente. Isso geralmente acontece devido a erros no script.

Para resolver essa falha, é preciso adotar correções rápidas, e toda a agilidade do processo depende de dispor de uma plataforma com as ferramentas certas para identificar o erro e implementar a melhoria.

4. Falhas de armazenamento

A falha de armazenamento é apontada por muitos profissionais de TI como uma das principais causas já registradas de indisponibilidade de sistemas.

A nuvem ainda depende do armazenamento físico, que rotineiramente falha, gerando esse tipo de problema. O resultado é uma grande redução do desempenho dos sistemas.

Para evitar que isso aconteça na sua empresa, leve em consideração as falhas operacionais, ainda quando estiver projetando os aplicativos que vão se dedicar ao armazenamento na nuvem, para garantir a resiliência dos dados.

Nesse caso, você também precisará de uma ferramenta capaz de integrar as funções operacionais com as de desenvolvimento de softwares (DevOps) para ter melhores resultados.

5. Perda de banco de dados

A perda integral ou parcial de banco de dados pode indicar problemas com o SQL ou, se ele estiver intacto, acusar algum tipo de corrupção de dados. Geralmente, isso acontece quando um usuário ou desenvolvedor mal-intencionado apaga os dados, causando a indisponibilidade no sistema. Isso seria tão grave quanto a perda do servidor.

Nesses casos, o banco de dados deve ser recriado a partir da mídia de backup ou substituído por um servidor auxiliar, que contenha réplicas dos dados.

Desenvolver softwares por meio de uma plataforma adequada dá à empresa a oportunidade de rastrear todas as ações executadas em um histórico de alterações. Essa é a melhor forma de descobrir o que aconteceu, quando o problema ocorreu e quem foi o responsável.

6. Violações de segurança

A segurança é uma bandeira que deve ser levantada em todos os projetos de desenvolvimento de software. Mesmo assim, ataques cibernéticos podem neutralizar as barreiras e invadir o sistema, fazendo uma bagunça.

Independentemente de o ambiente de trabalho ser local ou na nuvem, depende de você cumprir as normas e políticas de segurança para reforçar a proteção contra os acessos não autorizados.

No entanto, a nuvem torna mais fácil a verificação de uma lista de requisitos de segurança, uma vez que os provedores da Cloud abordam essas preocupações repetidas vezes com os clientes corporativos.

Se você contar com uma ferramenta de apoio profissional para o desenvolvimento de softwares, pode identificar mais rapidamente as falhas que estão fragilizando a segurança do sistema, testando e implementando as correções necessárias antes de qualquer ataque.

7. Perda de desempenho

Um desempenho ruim dos sistemas pode prejudicar o acesso ao banco de dados, provocando lentidão e, até mesmo, parando o sistema por completo. Mesmo que nenhum dado seja perdido com esse problema, as falhas devem ser identificadas imediatamente.

A utilização de uma ferramenta que ofereça recursos de rastreabilidade pode ajudar a localizar o problema e agilizar a tomada de decisão dos desenvolvedores, no sentido de corrigir os erros permanentemente.

8. Falhas humanas

Erros de digitação de scripts e outras falhas manuais são muito comuns em projetos de criação e/ou desenvolvimento de softwares, ocasionando eventos de indisponibilidade temporária ou permanente do sistema.

Códigos errados podem:

  • colocar funcionalidades em conflito;
  • abrir portas de entrada para invasores;
  • afetar toda a estrutura do software.

Até que o problema seja resolvido, lá se foram horas de trabalho perdidas pelos profissionais de vários departamentos.

Mesmo que o sistema conte com um programa de monitoramento e manutenção contínua e possua procedimentos operacionais padronizados, se os ajustes e atualizações forem trabalhados de forma manual, os riscos permanecerão.

Por outro lado, você pode adotar na sua empresa uma ferramenta que permita automatizar o ciclo de desenvolvimento de softwares, agregando agilidade em todas as fases até a entrega.

9. Perda do SQL

O SQL do servidor pode falhar, limitando ou interrompendo totalmente o acesso ao banco de dados da empresa. Normalmente, isso acontece devido a erros na instalação, violações de acesso etc.

Nesse caso, se os hardwares e os sistemas operacionais da empresa estiverem funcionando corretamente, o SQL deve ser reinstalado, já que possivelmente é dele que vem o problema.

Além disso, é bom lembrar que os updates também podem deixar o SQL indisponível durante a execução dos packs de atualizações. Portanto, o acompanhamento de cada etapa do processo dever ser feito de perto, para garantir que tudo ocorra de forma natural e livre de riscos.

Essas causas de indisponibilidade de sistemas são as mais comuns, e isso não significa que outras não possam vir a afetar a sua empresa. O mais importante é contar com uma ferramenta que agilize a detecção das falhas e permita uma rápida implementação de soluções.

Se essa informação foi útil para você, leia agora mesmo nosso e-book com as melhores práticas para desenvolver sistemas e descubra muito mais!