Data center físico e cloud computing: entenda suas diferenças

A tecnologia da informação vem evoluindo de modo acelerado. Hoje, ela representa um dos fatores mais importantes para as estratégias de negócios. Isso pode ser observado pelos setores de TI presentes em praticamente todas as empresas.

Independentemente dos negócios terem como principal atividade os serviços de TI, o data center é responsável por garantir o funcionamento deles. E, em relação a esse quesito, existem 2 tipos: data center físico e cloud computing.

Você sabe qual é a diferença entre eles? Ou melhor: sabe qual é mais vantajoso para o seu negócio? Descubra isso e muito mais a partir de agora!

As principais características do data center físico

Um data center físico se trata do conjunto de redes, servidores, mainframes, roteadores, cabeamentos e outros equipamentos (hardwares) relacionados à informática que a empresa mantém sob o seu domínio.

Normalmente, a empresa fica responsável pela aquisição, manutenção e atualização dos servidores e todos os outros equipamentos, bem como pelo espaço necessário para comportá-los.

Além dos equipamentos, a empresa também deve arcar com os sistemas. Apesar de poder utilizar softwares e aplicativos hospedados na nuvem, agregando mobilidade às tarefas, o conflito com os servidores locais pode acontecer na hora de gerenciar os dados, exigindo um grande esforço de seleção para o que fica na nuvem e o que fica nos servidores in-house.

Apesar dos riscos de manter todos os sistemas e dados hospedados em um ou mais servidores no mesmo ambiente, ainda é muito utilizado por gestores que acreditam ter melhor controle com esse tipo de infraestrutura.

As principais características da cloud computing

A computação em nuvem é mais abstrata, já que representa uma solução de hospedagem virtual.

Em vez de a empresa investir em infraestrutura física, os servidores são hospedados na nuvem, fora das instalações. Trata-se de um ambiente virtual com acesso e funcionamento em tempo real — porém, com uma rede de servidores espalhada por várias regiões.

Sendo mais claro: em vez da empresa investir na compra de servidores físicos, configurar redes de internet e energia e organizar um espaço adequado, ela pode alugar uma infraestrutura completa com espaço para o armazenamento de dados, softwares com funcionalidades específicas e muitos outros serviços totalmente on-line.

Geralmente, esse tipo de serviço é oferecido por provedores de computação em nuvem, e o pagamento acontece por meio de assinatura de um plano (mensalidade) com o pacote de recursos e ferramentas que precisa.

Os provedores configuram os data centers virtuais para o cliente, criando um ambiente propício e adequado às necessidades dele.

Um comparativo entre data center físico e cloud computing

Flexibilidade e escalabilidade

A cloud computing oferece um nível superior de escalabilidade e flexibilidade em comparação com um data center físico. O espaço virtual é sob demanda e entrega recursos ilimitados, podendo acompanhar o crescimento sustentável da empresa sem a necessidade de grandes investimentos.

Ou seja, esse modelo permite que as empresas paguem apenas pelo que realmente precisam e que aumentem ou reduzam os seus serviços conforme necessário. Como os serviços são distribuídos sob demanda, podem suportar o crescimento e acompanhar as necessidades de mudanças no negócio.

Já com uma infraestrutura física, você só pode usar os recursos que já tem disponível. Se faltar espaço de armazenamento, a única solução é comprar ou alugar novos servidores para serem integrados ao data center local.

Esse pode ser um empreendimento relativamente caro, especialmente se a empresa está crescendo de forma acelerada.

Resiliência e elasticidade

Os dados e sistemas hospedados na nuvem são distribuídos uniformemente entre os servidores (principais e auxiliares) conectados à rede para criar redundância. Portanto, se um servidor falhar, nenhum dado é perdido, e o tempo de inatividade é reduzido.

A nuvem também oferece mais recursos e espaços de armazenamento, o que pode deixar os softwares e os aplicativos rodando com maior leveza.

Se o negócio enfrentar picos de demanda, pode contar com expansão, pagando apenas pelo que usar a mais nesses períodos e retornar ao tamanho original depois.

No caso do data center físico, não se pode contar com tanta resiliência, sendo mais difícil garantir um alto nível de consistência no desempenho dos servidores. Eles têm capacidade limitada e são suscetíveis a maior tempo de inatividade quando algo fora do comum acontece.

Além disso, você precisará comprar equipamentos e arrumar espaços adicionais para se adaptar ao crescimento do negócio. Se ele retrair, você pagará pelos recursos que não usa. E tem mais: o valor dos servidores físicos diminui ano a ano, de modo que o retorno sobre o investimento para uma infraestrutura de TI local é bastante baixo e demorado.

Investimentos

Na cloud computing, o provedor fica totalmente responsável pela manutenção da infraestrutura oferecida, assumindo tarefas de atualizações tecnológicas e implementação de medidas de segurança. Também é responsável por manter a estrutura no ar 24/7/365. Você paga apenas uma mensalidade para utilizá-la.

O data center físico, por outro lado, requer altos investimentos e um grande esforço de gestão. Você vai precisar contratar uma equipe inteira de profissionais especializados para realizar o monitoramento e a manutenção dos servidores, deixando a empresa responsável por atualizações, problemas de configuração, proteção contra ameaças, instalações etc.

Segurança

A computação em nuvem é uma forma externa de armazenamento de dados e entrega de software, o que pode parecer menos segura. Mas não se engane, ela pode oferecer um nível de segurança muito mais alto do que um data center físico.

Os provedores de serviços em nuvem se mantêm atualizados em relação aos padrões do setor e entendem a necessidade de privacidade e segurança.

Quando você contrata um bom provedor de cloud, ele entregará ferramentas de backups automatizados, uma rede de servidores auxiliares com cópias idênticas dos dados e sistemas para os casos de queda no servidor principal, criptografia de dados e senhas e muito mais.

Diferentemente da cloud computing, no data center físico você fica responsável pela proteção dos dados e sistemas. Ele pode ser gerenciado por uma equipe de TI própria, mas uma quantidade significativa de tempo e dinheiro será necessária para garantir a implementação das estratégias de segurança e recuperação de dados.

A atualização constante dos softwares também ficará por conta da empresa, que será necessária para a correção de bugs e outras falhas que possam comprometer a segurança da infraestrutura.

Embora pareçam iguais e ofereçam serviços similares, o data center físico e a cloud computing são diferentes em muitos aspectos. Comparando as vantagens e as desvantagens de cada modelo, não é nenhum exagero dizer que a cloud computing é mais vantajosa.

Entendeu as diferenças entre data center físico e cloud computing? Passe essa informação adiante. Compartilhe este post com todos os seus amigos nas redes sociais!

2018-01-23T13:45:35+00:00 0 Comments