Descomplicando: saiba como funciona a entrega de um código-fonte!

O código-fonte é composto por um conjunto de instruções escritas em linguagem de programação por computador, que pode ser lido por profissionais que detêm esse tipo de conhecimento.

É preciso deixar claro que existem grandes diferenças entre a linguagem utilizada pelas máquinas e a linguagem humana. Nós estamos acostumados a utilizar códigos (letras e números) que, quando colocados em conjunto, forma palavras e frases.

Os computadores, por sua vez, enviam impulsos elétricos para se comunicar entre eles. Esses impulsos são formados por dois códigos, sendo mais conhecido como sistema numérico binário (os códigos são 0 ou 1).

Agora, o conceito de código-fonte fez um pouco mais de sentido, não é mesmo? Contudo, é preciso entender que o programador pode oferecer uma versão compilada de seu trabalho ou fornecer o código-fonte. A versão compilada permite que as pessoas rodem o programa, mas não é possível saber como o programador fez isso acontecer.

Ficou interessado pelo assunto? Então, continue a leitura deste artigo e descomplique: saiba como funciona a entrega de um código-fonte. Não perca essa oportunidade.

Quando entregar o código-fonte?

Quando os programadores entregam o código-fonte de um determinado programa, devemos entender que outros programadores poderão ler “as instruções” e compreender como o programa funciona. Caso seja necessário, será possível modificar o programa. É importante dizer que o código-fonte não deve ser entregue a pessoas de fora da sua empresa, a menos que haja um motivo para isso. Existem algumas situações em que a transferência do código-fonte é exigida, como:

  • desenvolvimento personalizado;
  • licenciamento colaborativo;
  • garantia;
  • aquisição;
  • descoberta legal.

Por que entregar o código-fonte?

Como destacado anteriormente, existem algumas situações em que se deve entregar o código-fonte, em conjunto com o programa. Veja, a seguir, detalhes sobre cada tipo de situação.

Desenvolvimento personalizado

Algumas empresas de softwares são contratadas para atender necessidades específicas de certos tipos de negócio. Assim, após o desenvolvimento, o software e seu respectivo código-fonte serão transferidos para o cliente. Na maioria das situações, o cliente terá direito a posse dos direitos de propriedade intelectual de tal software. Quando esse tipo de situação for previsto, o programador deverá fornecer o código em etapas definidas.

Licenciamento colaborativo

O licenciamento colaborativo nada mais é do que a situação em que o programador será responsável para criar softwares para o desenvolvimento de produtos específicos. Assim, será necessário fornecer o código para a elaboração desse item. Da mesma maneira que ocorre no desenvolvimento personalizado, será necessário fornecer o código-fonte atualizado em etapas determinadas.

Garantia

Os clientes podem comprar o software e garantir que o código-fonte seja entregue a um provedor de depósito de terceiros. Esse tipo de situação visa fornecer proteção ao cliente, caso aconteçam problemas contratuais ou problemas na continuidade dos serviços do fornecedor. Assim, se a empresa contratada passar por situações difíceis, seus clientes poderão obter acesso ao código. Esse, por sua vez, será transferido nos prazos acordados.

Aquisição

O processo de aquisição de uma empresa ou de fusão de companhias também envolve a transferência do código-fonte. Caso sua empresa passe por um desses processos, por exemplo, e seja adquirida por outra companhia, o código-fonte de seus programas será transferido para o novo proprietário. Nesse caso, os direitos de propriedade intelectual do software também serão transferidos. É válido destacar que o código-fonte precisará ser entregue apenas uma vez.

Descoberta legal

Essa situação é mais incomum, mas existe a possibilidade de que uma empresa seja acusada de roubar a propriedade intelectual de um concorrente. Nessa situação, o código-fonte deverá ser disponibilizado para que especialistas no assunto possam determinar se houve, ou não, violação.

Como entregar o código-fonte?

A entrega do código-fonte depende da frequência de transferências necessárias. Para uma única entrega, é recomendado realizá-la pessoalmente, utilizando vários dispositivos, que sejam altamente duráveis e que apresentem segurança de chaves públicas. A utilização de diferentes dispositivos é uma maneira interessante de realizar uma troca rápida de grande quantidade de dados. Obviamente, é preciso gerenciar a segurança física de tal procedimento.

Contudo, na maioria das vezes não é possível realizar a entrega pessoalmente, por conta de problemas de deslocamento, tempo e outras razões. Sendo assim, é necessário realizar a entrega virtual. Para tanto, deve-se contar com serviços de hospedagem de arquivos que tenham controles de acesso avançados, permitindo especificar quem terá acesso ao ambiente e em quais arquivos esse usuário terá acesso.

Já quando a entrega é recorrente, as opções acima (presenciais e virtuais) também podem ser utilizadas, apesar da entrega presencial não ser sempre possível (a não ser que ambas as partes estejam geograficamente próximas). Então, pode-se afirmar que as opções virtuais são mais utilizadas. Há possibilidade de liberar o código-fonte por completo ou utilizar uma alternativa, como um delta que liga até a entrega anterior.

Caso os dados envolvidos na transferência sejam muito grandes, é recomendado a utilização de uma entrega física inicial, seguido por deltas menores, entregues virtualmente por meio de servidores.

Como proteger a propriedade intelectual?

Dependendo do caso, ao entregar o software para o cliente será preciso tomar medidas para proteger a propriedade intelectual. É válido dizer que as patentes podem ser utilizadas para garantir aspectos factuais do uso do software.

Os direitos autorais do programa, por sua vez, podem ser utilizados para proteger o lado “artístico”, incluindo seu código. Embora a entrega do código-fonte esteja se tornando cada vez mais comum, nunca é demais se preparar para eventuais problemas. Estar por dentro dos principais riscos e se proteger durante todo o processo pode ser fundamental para a proteção intelectual e para garantir a segurança das informações.

É possível negociar os direitos sobre a propriedade intelectual?

Uma maneira interessante de evitar esse tipo de problema se dá pela negociação sobre os direitos da propriedade intelectual do código-fonte. Esse tipo de negociação deve ser realizada desde o início do projeto, evitando maiores problemas.

Então, no contrato inicial já deve haver cláusulas e outras informações sobre o direito do código-fonte. Dessa forma, o programador e o cliente não terão problemas ao longo do processo. Além disso, ambas as partes poderão discutir o que é melhor e chegar a um consenso. Certamente, valerá a pena.

E aí, gostou do nosso artigo? Então, deixe um comentário e participe do nosso blog. Sua opinião é muito importante para nossa produção de conteúdo. Estamos contando com você!

2018-09-17T12:53:47+00:000 Comments