Ética: uma palavra tão importante atualmente, nas mais diferentes áreas. Os profissionais precisam cada vez ficarem mais atentos às suas condutas, afinal, o mercado e os consumidores andam cada vez mais exigentes. Todo e qualquer deslize é rapidamente compartilhado e torna-se motivo para boicotes e prejuízos.

Os desenvolvedores de software, portanto, devem ficar atentos a essas questões, a fim de evitarem problemas que possam prejudicar suas carreiras, garantindo-se como talento tecnológico, sendo profissionais íntegros, honestos e éticos na execução de suas tarefas.

Você conhece o código de ética para o desenvolvedor de software? Então, continue lendo e saiba mais sobre o assunto.

A importância do código de ética para qualquer área

A ética profissional é imprescindível em qualquer área de atuação. Ela diz respeito às condutas de uma pessoa, durante a realização de suas atividades laborais, de forma a evitar ações maliciosas ou que coloquem em risco si mesmo ou terceiros.

Ela está ancorada em alguns pilares morais importantes, tais como:

  • não faça nenhum mal (um dos pilares mais básicos da ética);
  • a empresa e os profissionais pertencentes legitimam seus negócios por meio de condutas éticas e, consequentemente, legais, estimulando um ambiente de lealdade e dedicação;
  • a empresa e os profissionais visam conquistar o respeito dos fornecedores e do público por meio de suas condutas éticas;
  • profissionais éticos não realizam pagamentos irregulares ou se submetem a subornos ou outras ações indevidas;
  • o lucro gerado pela organização não fica sujeito a contingências futuras (como pagamento de penas por procedimentos ilegais).

Essas questões são fundamentais para orientar um trabalho sério, responsável e incapaz de causar malefícios para terceiros em prol de benefício próprio.

O ponto de vista do código de ética para o desenvolvedor de software

Além de ser uma questão de princípios, seguir o código de ética de sua profissão é fundamental para exercer suas atividades dentro da legalidade. Isso porque é comum que cada área tenha uma legislação própria, mas os princípios norteadores são comuns. Quando o profissional age de maneira ética, dificilmente ele realizará um tipo de atitude ilegal ou que comprometa a si mesmo ou outras pessoas. Assim, ele está se respaldando até mesmo de possíveis ações judiciais.

Os danos causados por ações antiéticas podem ser enormes, independentemente da área de atuação. Por exemplo, uma empresa que aceite ou ofereça suborno e/ou propina não está apenas cometendo um crime, mas causando danos graves a órgãos públicos, patrimônio da população.

O código de ética na área de desenvolvimento de software

A área de tecnologia tem searas muito delicadas. Devido à sua evolução recente, ainda há uma série de discussões sobre o que é possível ser feito, o que deve ser feito, o que é moral, o que é imoral e o que é ético. Isso torna-se ainda mais latente quando observamos que não há um código global que acompanhe todas as questões concernentes da área.

Muito disso ocorre porque a área de computação encontra dificuldades para mensurar as consequências negativas de seus trabalhos de forma objetiva, diferentemente de outras áreas, nas quais esses pontos ficam bem nítidos. Porém, dentro dos setores específicos (como desenvolvimento de softwares), já podemos ver avanços nesse processo.

Apesar de alguns profissionais considerarem essa uma discussão complicada, já que muitos profissionais são descrentes em relação à aplicação da ética nessa área, é importante saber que é necessário sim cumprir os dispositivos que estão presentes no Código de Ética em Engenharia de Software. Esse é um documento extenso, o qual detalha os principais pontos a serem seguidos pelos profissionais do setor em suas funções cotidianas, a fim de exercerem suas atividades sem causarem danos a terceiros.

Podemos resumir os principais pontos do documento nas seguintes afirmações:

  • os responsáveis pelo desenvolvimento de softwares devem agir de acordo com o interesse público;
  • além disso, devem agir em consonância com os interesses e necessidades dos seus clientes e empregados;
  • os produtos oferecidos e suas respectivas modificações devem atender aos melhores padrões profissionais possíveis;
  • os engenheiros devem manter a integridade e independência nos seus julgamentos profissionais;
  • os gestores responsáveis devem aderir e promover uma abordagem ética no ambiente de trabalho no que concerne ao desenvolvimento e manutenção de software;
  • os profissionais devem desenvolver a reputação e integridade da profissão, sem perder o foco no interesse público;
  • deve ocorrer uma postura de cooperação mútua entre os colegas de trabalho.

Assim, podemos ver que, mesmo se tratando de um código de ética específico, ele está de acordo com os conceitos de práticas profissionais éticas de modo geral.

O uso malicioso de softwares

Apesar de difícil, já podemos começar a delinear as possibilidades de usos maliciosos de software, de forma a definir o que é ético e o que não é. Um exemplo recente muito nítido diz respeito ao caso da Cambridge Analytica, que utilizou dados pessoais de usuários para manipular decisões eleitorais. Antes esse tipo de discussão talvez não fosse abordado com tanta ênfase, mas atualmente esses tópicos são bem mais fortes na sociedade. Há toda uma questão das implicações éticas no que diz respeito à segurança e proteção de dados e emissão de informações fidedignas para o usuário.

Com isso, torna-se importante que os desenvolvedores pensem: a solução que estou criando atende, de fato, o interesse público? Ou está apenas servindo aos interesses dos clientes/contratantes? É preciso ter um equilíbrio entre esses dois, a fim de evitar que beneficiar um prejudique o outro. Por exemplo, retomando o caso da Cambridge Analytica, as implicações sociais geradas pelo uso indevido — e sem comunicação ao usuário — são enormes e de difícil reversão. Por isso, é importante que os desenvolvedores ajam de forma ética, bem como tenham consciência das consequências do que estão criando.

As dicas para não prejudicar sua carreira ferindo princípios éticos

Em primeiro lugar, tenha consciência do que está contido no código de ética da Engenharia de Software. Esse é um bom primeiro parâmetro para saber aquilo que pode fazer e o que deve evitar. Assim, estude o documento e verifique quais trechos estão relacionados com o seu fazer laboral. Outro ponto é ter consciência do que falamos nos tópicos anteriores: o princípio básico da ética na área de desenvolvimento de softwares é prezar pelo interesse público, sem esquecer os demais pontos do trabalho (como a atenção às necessidades do cliente).

Também atente às pressões do trabalho: muitas pessoas acabam se submetendo a algumas situações por medo de não conseguirem cumprir prazos ou de perderem seus empregos. Com isso, cedem a situações antiéticas. Porém, lembre-se: é o seu nome profissional que está em jogo, portanto, trate de zelar por ele.

É essencial que os colaboradores dessa área se destinem a buscar sempre as melhores condutas, que permitirão se tornar um melhor desenvolvedor de software, bem como evitar problemas que possam prejudicar sua carreira.

Achou interessante este conteúdo? Compartilhe-o em suas redes sociais e leve-o até sua rede de amigos e colegas de profissão.