Conceitualmente, híbrido quer dizer um gene ou organismo formado pelo cruzamento de dois progenitores de raças, linhagens, variedades, espécies ou gêneros diferentes. Com a cloud híbrida não é diferente. Ela é formada por um ambiente computacional em nuvem que usa uma mistura de nuvem privada e serviços de nuvem pública com orquestração entre as duas.

É importante lembrar que os conceitos fundamentais dos serviços em nuvem, como elasticidade, escalabilidade, rápido provisionamento e baixo custo, estão fundamentados no acesso baseado em camadas de serviços. As arquiteturas em nuvens privadas solucionam parte dos problemas mais urgentes, mas são mais caras que as públicas, que, por sua vez, apresentam riscos maiores.

As nuvens híbridas possuem o potencial para fornecer soluções equilibradas, mas, infelizmente, há pouco conhecimento e escassez de oferta para a construção de nuvens híbridas. Esta modalidade de ambiente computacional dá às empresas mais opções de implantação de dados e maior flexibilidade, permitindo cargas de trabalho para deslocar entre nuvens privadas e públicas, conforme as suas necessidades e buscando o melhor custo entre elas. Podendo, assim, tirar o melhor proveito utilizando a capacidade extra de um servidor durante um determinado período em particular.

Não é raro encontrar empresas que utilizam uma nuvem pública para testar a viabilidade de um aplicativo, trazendo-o de volta à infraestrutura de TI interna após ser avaliado. Porém, ainda existe a preocupação de definir melhores padrões de interoperabilidade das nuvens antes que a total funcionalidade de uma verdadeiramente híbrida se torne realidade.

As vantagens encontradas pelas empresas de TI e entidades do governo estão ligadas a maior simplicidade, mais opções, agilidade, custos menores, melhoria de SLAs, visibilidade e controle, permitindo que a organização inicie projetos com mais rapidez, beneficie-se rapidamente de novas capacidades e oportunidades de receita, e responda imediatamente às alterações no mercado.

Conceitualmente, a base de uma nuvem híbrida é uma infraestrutura virtualizada sobre a qual é instalada uma camada para viabilizar o autoatendimento, que usa a automação para acelerar a entrega de aplicativos e serviços. Dessa maneira, os aplicativos e os serviços podem ter origem nas nuvens públicas ou privadas e todos apresentados por meio de uma camada de autoatendimento, conseguindo-se, assim, oferecer transparência financeira e gerenciamento operacional para garantir que o ambiente todo possa ser gerenciado em níveis de serviço específicos definidos pela equipe de TI.

Por fim, como em todas as soluções computacionais, existem prós e contras. Talvez, neste momento, a solução de cloud híbrida seja a que ofereça a maior quantidade de benefícios tangíveis, mas carrega consigo as dúvidas e medos de uma nova solução que ainda não está totalmente madura e, digamos, regulada pelas empresas. Porém, é fato que, mesmo com todos os medos, ela é a melhor solução tecnológica para resolver grande parte dos problemas das empresas, até que apareçam os novos!