Como migrar data center físico para nuvem da melhor forma?

Os dados e sistemas nunca foram tão importantes para as estratégias corporativas. Mas para agregar eficiência às operações, é preciso contar com mais ferramentas. A cloud computing, hoje, é a melhor solução nos quesitos automatização, segurança, escalabilidade, mobilidade e redução de custos. Isso tem levado as empresas de todo o mundo a buscarem por esse tipo de serviço. Mas você sabe como migrar data center físico para nuvem?

Esse é um processo que demanda planejamento, organização e monitoramento. Caso contrário, os riscos podem ficar fora de controle e não queremos que nada de errado aconteça nesse momento. Para ajudar, listamos abaixo um passo a passo essencial para você planejar as etapas de forma alinhada e segura. Confira!

Por que é importante migrar data center físico para a nuvem?

Em meio ao processo de escolha do provedor, definição dos serviços contratados e processo de migração, é natural que se pergunte se está fazendo a coisa certa. Para ter certeza disso, apontamos as principais vantagens de contar com as soluções de nuvem. Leia a seguir!

Facilita a restauração de dados e sistemas

Serviços de backups automáticos e programáveis, na frequência certa, garantem o acesso a toda infraestrutura caso aconteça algum desastre na empresa, com o provedor ou ciberataques. Esses backups são replicados e enviados para servidores em locais distintos, o que torna quase impossível a perda total das informações.

Reduz custos com infraestrutura física

Ao migrar a infraestrutura de TI para a nuvem, a empresa não precisará mais investir em espaços e equipamentos físicos no local, o ambiente e os servidores serão virtualizados e o acesso aos dados e sistemas acontecerá por meio da internet. Também não precisará mais se preocupar com compras, downloads, instalações, manutenções e atualizações de softwares, já que eles ficarão hospedados na nuvem. Você só pagará uma mensalidade que engloba todos os serviços contratados.

Aumenta os níveis de segurança

Provedores de nuvem possuem rígidas políticas de segurança e privacidade. O acesso é controlado por meio de senhas e, tanto elas quanto os dados da empresa, são criptografadas para se tornarem ilegíveis em casos de acesso não autorizado. As redes redundantes de servidores, internet e energia ajudam a manter os serviços no ar praticamente 24/7/365 e com baixas taxas de interrupção.

Agrega mobilidade às tarefas

Com a nuvem, os dados e sistemas ficam online. Isso quer dizer que o trabalho pode ser estendido para além dos muros da empresa: não importa onde esteja ou a hora, se tiver um dispositivo móvel conectado à internet, poderá acessar o ambiente online e dar continuidade ao trabalho. Como resultado, os níveis de produtividade devem aumentar consideravelmente.

Passos para migrar data center físico para a nuvem

Agora que você lembrou por que deve migrar data center físico para nuvem, é hora de descobrir como fazer do jeito certo. Abaixo, mostramos um passo a passo com as principais etapas. Siga-o e tenha sucesso na implementação.

1. Defina as prioridades sobre o que deve ser levado para a nuvem

Planeje o que deve ser levado para a nuvem agora e o que pode esperar. Possivelmente, existirão dados e sistemas que os gestores preferirão manter offline, pelo menos por enquanto. Nessa etapa, você deve considerar o que é mais primordial para estar online, como plataformas de produção, por exemplo.

Como ela tem o poder de aumentar a produtividade por meio da mobilidade agregada às tarefas, as ferramentas e recursos de produção podem ser o primeiro passo a ser dado na migração. Quanto mais serviços você migrar para a nuvem, mais espaço e recursos precisará, o que aumentará os custos operacionais mensais. Então dê prioridade para aquilo que permita aumentar a geração de receitas.

2. Decida qual tipo de nuvem será mais adequada às suas necessidades

Atualmente, existem três tipos básicos de nuvem: pública, privada e híbrida. Cada uma entrega soluções diferentes e a híbrida permite integrar os dois modelos anteriores, formando uma estrutura única, para que você possa aproveitar o melhor de cada tipo de nuvem. Quando você decidir quais dados e serviços serão migrados para a nuvem, ficará mais fácil decidir o tipo certo, comparando as soluções com as necessidades do negócio.

A nuvem pública entrega uma estrutura padronizada e com baixos recursos de personalização, mas é boa para centralizar a linha de produção. A nuvem privada, por outro lado, pode ser customizada sob medida e entregar níveis de segurança, disponibilidade, compliance e governança maior, sendo ideal para dados e sistemas mais sensíveis.

3. Escolha o provedor de cloud computing ideal para o seu negócio

Antes de dar início ao processo de migração, tenha certeza que o provedor de cloud escolhido é o certo. Entre em contato com o suporte e discuta os termos do SLA (Service Level Agreement), como quais serviços serão utilizados, sistemas de cobrança, como funcionará a escalabilidade, recursos e ferramentas disponíveis, etc.

Ter essa certeza é importante, pois você migrará toda a infraestrutura de TI da empresa. Se precisar mudar de fornecedor em um tempo muito curto, os riscos e custos podem aumentar. Sem contar que a disponibilidade dos serviços da empresa podem ficar comprometidos no processo.

Então dedique um tempo para a pesquisa do provedor. Ele precisa ter boa reputação de mercado, oferecer os recursos que você precisa e entregar uma estrutura sólida e com bom desempenho.

4. Prepare o ambiente para receber os dados e sistemas

Com a ajuda do provedor, estruture o ambiente. Considere tudo o que será necessário para o funcionamento perfeito dele (recursos e ferramentas) e monte o ambiente perfeito. Ele deve ser personalizado para atender o seu negócio na medida certa.

Depois de montado, teste o ambiente e tudo o que ele tem a oferecer. Você pode utilizar dados e sistemas não sensíveis ou irrelevantes para o negócio nesse processo. O mais importante é saber se ele está pronto para receber a estrutura do seu negócio.

5. Implemente uma migração monitorada e controlada

Nessa etapa, é importante contar também com a ajuda do provedor de cloud. Geralmente, ele oferece esse serviço sem precisar ser solicitado, mas é importante que as etapas do processo fiquem bem esclarecidas antes. A migração deve ser assistida (monitorada em tempo real) e muito bem controlada para neutralizar os riscos de perdas e danos aos dados e sistemas da empresa durante o processo.

É incontestável que usar os serviços de cloud computing é essencial para agregar força competitiva ao negócio, mas o processo de migrar data center físico para nuvem deve ser muito bem planejado e controlado para neutralizar os riscos. Ter um parceiro especializado conta muito nessa etapa. Siga essas dicas e tenha sucesso no empreendimento!

Gostou do nosso artigo? Então aproveite a oportunidade e descubra também quais são as principais diferenças entre data center físico e cloud computing!

2018-02-20T14:30:22+00:00 0 Comments