Conheça 5 tendências de DevOps

Em um cenário de mercado que exige cada vez mais agilidade, produtividade e eficiência nos negócios, muitas empresas vêm implantando DevOps como forma de modernizar suas práticas de TI.

Muito além de uma metodologia, DevOps também representa uma mudança de paradigma dentro das organizações e propõe uma atuação integrada e colaborativa entre profissionais de desenvolvimento de software e infraestrutura. Nós já explicamos esse conceito em detalhes aqui no blog.

Para os próximos anos, a expectativa é que as corporações evoluam ainda mais as suas práticas de DevOps, por isso, conhecer o tema é indispensável para os negócios que quiserem se manter competitivos no mercado.

Veja, a seguir, 5 tendências de DevOps para o futuro próximo e entenda como elas vão impactar processos de empresas em todo o mundo:

1. Infraestrutura programável

No passado, costumava-se pensar em automação assim que o produto estivesse desenvolvido por completo. Agora, a tendência é que as empresas priorizem a automação desde o princípio da fase de desenvolvimento, integrando-a ao processo como um todo.

Portanto, uma das principais tendências de DevOps são os avanços previstos na infraestrutura programável como código. As equipes vão desenvolver um software e operar em seu entorno de forma simultânea.

Para se manter competitiva e liderar na era digital, uma empresa precisa investir em inovação de software e entregas cada vez mais velozes, daí a importância de também adotar metodologias ágeis para otimizar operações e infraestrutura.

2. Preferência por arquitetura de microsserviços

Já se foram os tempos em que as organizações de TI desenvolviam apenas aplicações monolíticas para seus clientes.

E o motivo para isso é simples: como essas aplicações contêm e executam todos os componentes de negócio dentro de um mesmo processo, sempre que for necessário solucionar um problema ou trocar um componente será preciso realizar o deploy da unidade inteira.

Por isso, outra tendência de DevOps é apostar nos enfoques modulares, isto é, quebrar um sistema em serviços menores e gerenciá-los a partir de equipes pequenas e ágeis.

Com uma arquitetura de microsserviços, em vez de sistemas monolíticos, as organizações podem encontrar:

  • mais agilidade e eficiência, já que cada serviço é executado em um processo isolado e pode ser desenvolvido e lançado independentemente;
  • melhor divisão das equipes, com grupos de especialistas responsáveis por conjuntos de funcionalidades de negócio específicos;
  • possibilidades de gerar métricas sobre cada microsserviço.

3. DevOps e Big Data atuando juntos

Não é segredo para nenhum empresário ou gestor que o Big Data promete transformar os processos das organizações em um futuro próximo.

Com a crescente disponibilidade de dados, a chegada de tecnologias de nova geração e a implantação de mudanças culturais nas organizações, as demandas por Big Data só tendem a aumentar.

De acordo com a IDC, esse mercado deve movimentar US$203 bilhões até 2020, apresentando uma taxa de crescimento anual de 11,7%. E segundo Michael Dell, chefe-executivo da Dell, Big Data será a próxima oportunidade de um trilhão de dólares.

Nesse contexto, a tendência é que Big Data e DevOps caminhem juntos na criação de abordagens mais estratégicas voltadas para a análise dos dados gerados no ciclo da entrega. Mas como isso vai funcionar?

De modo geral, as ferramentas de DevOps facilitam a automação dos processos e de sua configuração. Com isso, são gerados grandes grupos de dados que, se combinados com as tecnologias de machine learning, podem apontar insights valiosos sobre o seu negócio — entender como evitar falhas e identificar onde estão os gargalos no processo, por exemplo.

4. Eliminação do papel de operações

A princípio, este tópico pode parecer um exagero. Afinal, no modelo de sistemas monolíticos, a revisão e implementação de novas tecnologias era um processo que podia levar anos para se completar. Mas atualmente este é um trabalho que leva dias ou semanas.

E a chegada de tecnologias como cloud computing, virtualização e APIs nos ambientes de TI tem transferido boa parte das tarefas tradicionalmente atribuídas aos profissionais de operações para os provedores de serviços na nuvem.

Como resultado disso, é provável que o papel das equipes de operações seja reduzido ou mesmo eliminado completamente nos próximos cinco anos.

Para os profissionais de operações, isso implica saber adaptar suas habilidades às transformações do mercado, à medida que DevOps for implantado nas organizações. Uma dica, por exemplo, é se preparar para lidar com o modelo “infrastructure as code” e aprender a codificar.

Para as empresas, essas transformações demandam uma mudança cultural: por um lado, fomentando o trabalho de equipes autônomas e proativas, por outro, estimulando um ambiente de aprendizado e formação contínuos.

5. Maior propriedade sobre o ciclo de vida do produto

Como você já sabe, DevOps faz romper as barreiras tradicionais entre as equipes de desenvolvimento e infraestrutura com o objetivo de otimizar e agilizar as entregas para os clientes.

Isso quer dizer que, com DevOps, os times têm maior responsabilidade, autonomia e propriedade para desenvolver e criar as suas soluções. Além disso, os profissionais de desenvolvimento e operações acabam tendo mais visão e controle sobre todo o ciclo de vida do produto.

Essas transformações previstas nos fluxos de trabalho vão desafiar a capacidade de adaptação das empresas e profissionais de TI. Em primeiro lugar, é indispensável a criação de ambientes colaborativos com especialistas de diferentes áreas, alinhados com os objetivos estratégicos do negócio.

Outro detalhe é que as organizações precisarão investir em arquitetura de sistemas para garantir a compatibilidade dos processos. Geralmente, a saída é optar pela arquitetura de microsserviços, que permite o trabalho de equipes pequenas e autônomas no dia a dia.

Estar preparado para as principais tendências de DevOps pode ser o caminho para garantir a estabilidade e o sucesso dos seus negócios nos próximos anos. Quer responder às demandas por mudanças em tempo hábil? Veja algumas dicas a seguir:

  • a construção de uma mentalidade DevOps requer que os profissionais mudem. Se a sua empresa já utiliza DevOps, é fundamental que seus times entendam a importância e os benefícios disso para os negócios como um todo;
  • conheça as melhores ferramentas para automação de tarefas, colaboração entre equipes e monitoramento de processos e estude quais são as vantagens de implantá-las;
  • se a sua organização ainda não utiliza metodologias ágeis, essa pode ser uma boa forma de fortalecer a cultura DevOps entre os colaboradores.

E então, agora que você conhece as principais tendências de DevOps, tem interesse em saber mais sobre o assunto? Confira o nosso guia rápido de DevOps e descubra como essa mudança de cultura pode otimizar os resultados do seu negócio!

Guia Rapido Devops

2017-11-07T14:39:25+00:00 0 Comments