A Tecnologia da Informação muda o mundo todos os dias, não seria diferente no ambiente corporativo e sobre tudo nos departamentos de TI, mais do que nunca, estão diante de uma grande possibilidade e necessidade de mudança. É o advento da gestão de TI bimodal, que transforma a TI em uma área estratégica da organização.

As empresas precisam se preparar para serem adaptáveis e capazes de, enquanto mantêm seus sistemas operando, criar aplicações e produtos digitais. Para isso, é preciso que inovem internamente e se integrem de forma dinâmica à área de negócios para acompanhar a velocidade das oportunidades.

O conceito de TI bimodal, criado pelo Gartner Group em 2013, prevê uma infraestrutura de TI que inclui um componente tradicional (chamado de modo 1) — estável, integrado e eficiente —, para gerenciar os sistemas corporativos, e outro flexível, ágil e inovador (o modo 2), com uma equipe de técnicos e especialistas em negócios.

Acompanhe para saber mais sobre esse conceito neste post!

Modelo híbrido

Esse modelo híbrido de gestão unifica estratégias modernas e consolidadas para atender às demandas do mercado mais rapidamente enquanto usa processos mais rígidos para manter os recursos internos disponíveis e sem erros. Isso demanda maior capacidade de adaptação e inovação das organizações.

Assim, enquanto atualiza os modelos atuais, busca agilidade e velocidade para desenvolver soluções em diferentes situações sem prejudicar a estabilidade, a segurança e a precisão. O conceito engloba, portanto, todos os recursos (tecnológicos e humanos) necessários para fazer negócios de forma moderna e inovadora.

Em outras palavras, a ideia é que a área de TI mantenha a estrutura que oferece solidez, enquanto busca ser mais eficiente, criativa e inovadora. Isso é necessário porque os clientes, dispositivos e sensores estão sempre conectados e uma grande quantidade de dados é produzida continuamente.

Dois pilares

Como já mencionado, na TI bimodal, os métodos tradicionais de gestão convivem em harmonia com a adoção de rotinas de gestão e operação flexíveis. Entenda melhor como cada um atua nesse processo:

Modo 1: métodos tradicionais

Os processos de gestão tradicionais são aplicados aos sistemas e à infraestrutura existente para agregar valor, reduzir riscos e otimizar o desempenho. O objetivo é ganhar performance em médio e longo prazo e, ao mesmo tempo, adotar um ciclo longo de mudanças para aproveitar os recursos disponíveis ao máximo.

Modo 2: rotinas flexíveis

A geração de inovação e o aumento da capacidade de resposta a demandas do mercado são o foco desse pilar. Os processos são ágeis para reduzir prazos, integrar setores e eliminar erros — esse modo adota, por exemplo, o DevOps e a computação em nuvem. E é isso que transforma a infraestrutura de TI em parceira estratégica.

Cultura organizacional

O primeiro requisito para fazer essa mudança é conhecer bem a cultura organizacional, já que ela deve afetar a empresa como um todo. Afinal, a TI deve ser vista como parte do negócio, não apenas como solucionadora de problemas. No modelo de TI bimodal, o componente flexível converte a TI em agente transformador do negócio.

Como a TI é responsável por manter os sistemas funcionando, todos os departamentos se integram a ela. Apesar disso, poucas decisões de negócios têm origem nela. Sem isso, porém, as falhas de comunicação entre o mundo dos negócios e o digital trarão dificuldades para o ambiente corporativo.

Esse novo cenário revoluciona a forma como as organizações administram a gestão de TI. Com isso, a tecnologia e o desenvolvimento de software se tornaram fundamentais para a inovação, ampliação de mercados e conquista de clientes.

Entre os exemplos de mudança no ambiente organizacional estão a hackathon (maratonas de programação que reúnem hackers, designers, programadores, desenvolvedores e outros profissionais) e os laboratórios de inovação, espaços criativos e colaborativos para troca de conhecimentos e desenvolvimento de ideias.

Todo esse processo de mudança representa um grande desafio. E ele não atinge apenas a gestão do departamento de TI: deve ser incorporado por todos os integrantes da equipe. É essencial que haja uma mentalidade de colaboração com todos alinhados para que a mudança realmente aconteça.

TI no centro

A TI deve ser colocada no centro das rotinas internas e das abordagens de mercado da organização. Isso vai ajudar a melhorar o desempenho da equipe. Venha saber como fazer isso!

Recursos

É essencial pensar no financiamento dos recursos de TI necessários para a transformação. A TI bimodal é uma tendência importante e o investimento nela é estratégico.

Engajamento

Os profissionais devem ter autonomia para que aprimorem seu nível de inovação. Assim, devem ser liberados e motivados para tentar novas soluções no dia a dia.

Integração

É essencial que o gestor integre as equipes e mantenha canais contínuos de comunicação. Como consequência, o tempo para a assimilação de mudanças e os riscos diminuem. Dessa forma, quando surgirem novas formas de trabalho, elas poderão ser absorvidas rapidamente.

Rotinas

As rotinas devem ser adaptadas para acompanhar o crescimento nas demandas do setor de TI. Uma possibilidade é a terceirização, que ajuda a tornar a empresa mais competitiva e ao mesmo tempo reduzir custos.

Vantagens do modelo

Entre os benefícios da implantação da TI bimodal estão a redução de prazos, a melhora do desempenho e a adição de valor aos serviços de TI. Confira:

Mudanças do mercado

Com a TI bimodal, a empresa fica mais apta a lidar com as mudanças do mercado. Com rotinas mais flexíveis, ela ganha agilidade e precisão para responder a demandas de clientes e parceiros comerciais.

Competitividade

A maior capacidade de inovar e atender a um grande número de consumidores e parceiros comerciais sem queda na qualidade agrega valor a serviços e produtos e, assim, torna a companhia mais competitiva.

Rotinas internas

O ambiente corporativo fica mais eficaz com a flexibilização de processos e a mudança na cultura interna. O direcionamento de processos segue as demandas dos usuários e, consequentemente, a produtividade aumenta.

Inovação

Todo esse processo torna o ambiente corporativo mais inovador. Os profissionais, então, são incentivados a atuar de forma mais flexível para atingir resultados melhores em médio e longo prazo.

E então, já se sente preparado para implantar a gestão de TI bimodal e, com ela, melhorar o desempenho da sua equipe? Venha aprender mais sobre o tema conhecendo as 5 tendências de DevOps!