O segmento da tecnologia é um dos únicos que continua gerando postos de trabalho no Brasil em crise. Há milhares de vagas para profissionais de TI, principalmente na iniciativa privada. E, de acordo com a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), devemos chegar em 2020 com um déficit de mais de 408 mil profissionais.

Por outro lado, o próprio perfil do profissional de TI esperado pelas empresas tem mudado nos últimos anos. Sai a atuação puramente técnica, de suporte, e entra uma atuação mais consultiva, mais estratégica. Este é o ponto de inflexão para quem quer se destacar, fazer a diferença, e crescer na carreira: juntar conhecimentos técnicos com habilidades para ajudar a viabilizar e impulsionar negócios.

Pensando nisso, resolvemos fazer um levantamento das principais tendências tecnológicas que prometem ser condutoras das oportunidades de carreira para profissionais de TI nos próximos anos. Acompanhe!

6 carreiras promissoras para profissionais de TI

De acordo com a consultoria IDC, a América Latina está vivendo o ápice da chamada “era da transformação digital”. E, nós sabemos, o Brasil, como um gigante da região, vem na dianteira deste movimento, sendo responsável pela movimentação de milhões de dólares a cada ano.

Assim, os investimentos em Cloud Computing, Mobilidade, Big Data, Internet das Coisas, Computação Cognitiva, entre outros movimentos tecnológicos, não param de crescer. É por isso que os profissionais de TI devem estar preparados para protagonizar este momento.

Acompanhe, a seguir, cinco das principais carreiras que oferecem mais oportunidades e prepare-se para ter um futuro profissional brilhante:

1. Especialistas em Cloud Computing

Cada vez mais, organizações de todos os setores, segmentos e portes estão movendo suas infraestruturas para a computação em nuvem. E este movimento traz consigo milhares de oportunidades para profissionais que sabem lidar com a cloud. De programadores a especialistas em segurança da informação, passando por gerentes de projetos, há muitas funções que giram em torno da nuvem.

2. Cientistas de dados

A IDC prevê que nos Estados Unidos, até 2018, deve haver um déficit de 1 milhão de cientistas de dados. No Brasil, este número pode não ser tão grande, porém já há falta destes especialistas no mercado.

O cientista de dados é um profissional que se mostra cada vez mais necessário à medida que as empresas investem em soluções e práticas para lidar com o Big Data. Ele estuda os processos da empresa a partir dos bancos de dados estruturados e não estruturados, filtra e analisa estes dados para transformá-los em informações de valor para o negócio. Deve ter formação nas áreas de Ciência da Computação, Estatística, Matemática e vasta experiência em negócios. A junção destas habilidades é que dificulta encontrar este perfil profissional.

3. Consultor de segurança da informação

As ameaças à segurança da informação não param de crescer. Para se ter uma ideia, no final de 2015 os ataques de hackers já atingiam uma em cada seis empresas globais, de acordo com uma pesquisa da Grant Thornton. Os prejuízos levantados em apenas 12 meses giraram em torno de US$ 315 bilhões nos 35 países analisados (no Brasil, 11% dos negócios foram prejudicados com ciberataques no período).

É aí que uma carreira vem ganhando destaque: o consultor de segurança da informação. Ele é um profissional especializado em detectar vulnerabilidades, propor soluções para proteger sistemas empresariais, aplicativos e dados estabelecendo políticas, práticas e ferramentas que impeçam acesso não autorizado, utilização, divulgação, modificação ou interrupção.

4. Especialistas em mobilidade

Outra tendência que está avançando cada vez mais é a mobilidade corporativa. As empresas estão, cada vez mais, vendo valor em tornar suas operações mais móveis, com equipamentos e aplicações que liberem suas equipes da obrigatoriedade de estar entre as quatro paredes dos escritórios para realizar suas atividades.

Deste movimento, surgem oportunidades diversas, do desenvolvedor de aplicativos aos gestores de projetos, passando por administradores de redes focados em mobilidade.

5. Especialistas em Internet das Coisas

Estima-se que até 2020 mais de 20 bilhões de objetos estarão conectados à internet. A internet das coisas (do inglês, Internet of Things) é um caminho sem volta. Por isso, ela também merece ser olhada com carinho por quem busca uma carreira de sucesso.

Há oportunidades para quem cria padrões de conectividade entre os mais variados objetos e aplicativos e sensores, mas também para especialistas em segurança da informação em rede, arquitetos de softwares, cientistas de dados, entre outros.

6. Programadores e gestores de desenvolvimento de softwares especializados em DevOps

Há também um avanço na utilização de metodologias ágeis de desenvolvimento (DevOps). A corrida pela informatização requer práticas mais agilizadas de entregas de soluções, cobrando dos profissionais mais assertividade e rapidez.

Dentro disso, os profissionais que dominam linguagens como Perl, Ruby, Ruby on Rails e Python, Java e JavaScript, bem como o desenvolvimento de APIs e práticas de XP, Scrum etc. também tendem a se destacar mais no mercado.

Características dos profissionais de TI do futuro

Certamente, há mais carreiras promissoras na área de tecnologia, especialmente em países em desenvolvimento como o Brasil onde há poucos esforços para que a formação dos profissionais de TI seja mais estratégica e menos voltada ao suporte. A dinâmica do mercado de TI leva a crer que surgirão novas tendências tão rapidamente quanto as já existentes nos próximos anos. As carreiras listadas acima são as que mais se destacam num horizonte de tempo médio. Portanto, é importante se manter atualizado para acompanhar os movimentos do mercado.

Para finalizar, destacamos que entre as características mais procuradas pelos recrutadores de talentos em TI, estão habilidades de autocapacitação (autodidata), trabalho em equipe, inglês instrumental (técnico), relacionamento interpessoal e, principalmente, visão de negócio. Acabou o tempo em que o profissional de TI não entendia nada de planejamento empresarial, não era consultado por departamentos de vendas e marketing para ajudar a criar estratégia e buscar ferramentas e serviços. Agora espera-se do profissional de TI uma atuação bem mais consultiva.

Você está preparado para competir no mercado e avançar em sua carreira? Gostou destas dicas? Deixe seu comentário!

Para se manter atualizado, receber nossos artigos em primeira mão, assine agora nossa newsletter!