Técnicas de desenvolvimento ágil: conheça as principais

Em um mundo em que a produtividade é essencial para a sobrevivência das organizações, é fundamental garantir o desenvolvimento ágil de projetos sem comprometer a qualidade do produto – afinal, tempo é dinheiro!

Mas como acelerar os processos e garantir bons resultados? Para isso, existem metodologias específicas, sobre as quais falaremos no post de hoje. Conheça a seguir os principais métodos ágeis, suas vantagens e que fatores devem ser levados em conta ao escolhê-los.

Qual é a diferença de um método ágil?

Primeiramente, precisamos entender a diferença entre o método ágil e a abordagem tradicional. O método tradicional entende que o produto deve ser entregue ao cliente e avaliado em sua totalidade.

Ou seja, o usuário tem acesso a ele depois de 100% concluído de acordo com o escopo aprovado, e que não prevê grandes alterações.

Por outro lado, os métodos ágeis partem do princípio de que um conjunto mínimo de funcionalidades já é suficiente para solucionar parte da necessidade do cliente. Por isso, o projeto é entregue em partes, sem deixar de agregar valor.

Além da agilização e otimização dos processos, esta abordagem prevê que, à medida que as entregas vão acontecendo, exista um diálogo permanente entre o desenvolvedor e o usuário. Essa troca permite correções e aperfeiçoamentos em etapas posteriores.

Portanto, se a abordagem tradicional prevê uma encomenda e uma entrega, o desenvolvimento ágil aposta em um diálogo constante entre o desenvolvedor e o cliente, o que prevê avaliações permanentes e correções ainda durante o processo. O objetivo é oferecer uma solução completa que atenda de fato às demandas do usuário.

Guia das Ferramentas DevOps

Quais são os principais métodos de desenvolvimento ágil?

MSF

Entre os métodos mais utilizados está o Microsoft Solutions Framework. Ele se destina ao desenvolvimento de soluções tecnológicas por equipes reduzidas, o que permite a redução de riscos e aumento da qualidade do produto.

O MSF é mais focado na gestão do processo em si. Esse foco permite identificar as falhas mais frequentes em projetos de tecnologia, o que faz com que as taxas de sucesso aumentem. Esse método entende que é importante:

  • alinhar a tecnologia desenvolvida aos objetivos do negócio do cliente;
  • ter um escopo bem estruturado e detalhado;
  • desenvolver as soluções de forma interativa;
  • gerenciar os riscos do projeto;
  • agilizar a resposta às mudanças.

Quanto às práticas propostas pelo método, podemos destacar:

  • comunicação aberta e transparente;
  • formação de uma equipe capacitada;
  • atribuição de responsabilidades desde o início do projeto;
  • parcerias com clientes internos e externos;
  • flexibilidade;
  • qualidade das entregas;
  • entregas incrementais;
  • aperfeiçoamento constante por meio das experiências adquiridas.

SCRUM

O objetivo dessa metodologia ágil é fazer com que as equipes trabalhem juntas para alcançar um objetivo comum. Para que isso se torne realidade, considera-se que pequenas entregas individuais contribuem para a concretização do projeto coletivo.

No Scrum, a organização dessas entregas individuais acontece por meio do framework. Ele propõe a formação não só de equipes, mas aposta na capacidade de autogestão dos colaboradores, individualmente.

Segundo essa metodologia, cada membro da equipe deve ter responsabilidade pelas tarefas e atividades a ele delegadas. É seu papel conduzi-las e empenhar recursos necessários para que elas se concretizem de forma autônoma e proativa.

Se o estímulo a essa autonomia é tão importante na metodologia Scrum, de que forma é possível manter um projeto nos trilhos? Por meio da visibilidade proporcionada pelo Kanban.

O método estabelece que as atividades planejadas ou em andamento devem estar mapeadas e visíveis para toda a equipe neste quadro. Desta forma, todos podem acompanhar o andamento das atividades, verificando o que já está pronto e o que ainda deve ser feito.

Além disso, o método prevê a realização diária de reuniões rápidas para verificar o andamento, não perder de vista detalhes que podem comprometer o projeto e estimular o engajamento dos membros da equipe.

Quem usa o Scrum também não pode esquecer um fator importante: em vez de definir um objetivo de prazo maior, esta metodologia procura decompor as grandes ações em tarefas menores e com prazos curtos e plausíveis.

O estabelecimento de entregas curtas e, se possível, semanais, permite um acompanhamento mais preciso, a correção de problemas e um maior controle do processo.

Outra característica importante é a flexibilidade: por ser altamente ligado à realidade, o planejamento é adaptável e suscetível a mudanças.

O Guia do Versionamento e Integração Contínua em TI

XP

O XP, sigla para extreme programming, foi criado na década de 90 para agilizar o desenvolvimento de softwares. Seu foco é o cumprimento de três objetivos, considerados pilares desta metodologia:

  • agilidade no desenvolvimento de soluções;
  • economia;
  • qualidade do produto final.

Você deve estar pensando que isso não é nenhuma novidade, afinal, toda empresa deseja soluções rápidas, baratas e produto de qualidade. A questão é que o método XP se propõe a dizer como fazer isso.

Para alcançar esse nível de agilidade e excelência, cada atividade de uma equipe XP, ao longo do ciclo de desenvolvimento, é marcada por atitudes e comportamentos que levam ao sucesso.

Portanto, o trabalho deles é baseado em comunicação, simplicidade, feedback, coragem e respeito. Essas atitudes são responsáveis pela sinergia indispensável para o bom desempenho da equipe.

No entanto, o maior diferencial do método ágil XP é a adoção de práticas de trabalho que garantem a efetividade da equipe e a satisfação do cliente ao longo do processo de desenvolvimento. Podemos destacar:

  • cliente sempre à disposição;
  • reuniões de planejamento;
  • breves reuniões diárias para alinhamento;
  • integração contínua dos módulos desenvolvidos;
  • design simples e funcional;
  • entregas frequentes ao cliente;
  • testes de aceitação;
  • mudanças incrementais, refação e melhoria contínua.

Por que o desenvolvimento ágil é importante?

Um escopo é, na verdade, baseado em uma idealização. No entanto, a prática e a experiência final do usuário podem revelar que as funcionalidades solicitadas nem sempre atendem às necessidades do cliente da forma planejada.

Além disso, o desenvolvimento de qualquer solução tecnológica pode apresentar bugs que comprometem a qualidade do produto. Quando eles são identificados apenas em uma fase adiantada do processo, a correção acarreta um alto custo.

A qualidade alcançada por meio do desenvolvimento ágil gera uma economia que torna esse tipo de abordagem mais barata. Ele reduz a necessidade de mudanças tardias, fazendo com que as organizações de TI tenham condições de reagir e adaptar o desenvolvimento de acordo com a evolução das necessidades dos clientes.

Utilizar a metodologia de desenvolvimento ágil adequada pode ser o grande diferencial para a produtividade de uma organização. Afinal, a otimização da rotina de TI é fundamental para acelerar os processos e garantir a qualidade.

Quer saber como realizar essa otimização? Então baixe nosso e-book agora mesmo e saiba como o trabalho do seu time de TI pode ser ainda mais produtivo!

2018-07-30T14:52:11+00:000 Comments

Leave A Comment