fbpx
Como o data driven auxilia nas tomadas de decisões da empresa?

Como o data driven auxilia nas tomadas de decisões da empresa?

A gestão data driven utiliza a análise de dados para reduzir riscos e melhorar o posicionamento da marca. Reduzindo o papel da intuição nas escolhas do gestor, ela amplia a visão sobre os riscos em cada investimento. Assim, a marca pode atingir mais lucratividade e competitividade com facilidade.

Estamos vivendo na era da informação e as empresas precisam se adaptar às novas tecnologias e ao uso de grandes bases de dados para melhorar seus resultados no mercado. E a cultura data driven é uma tendência dentro dessas novas soluções e estratégias.

Cada interação realizada pela empresa gera uma grande gama de dados, que podem ser processados e analisados para descobrir informações relevantes para as tomadas de decisões.

Orientar-se por meio dessas informações tem se tornado uma obrigação para as empresas que querem se manter no páreo com seus concorrentes no mercado. Confira, a seguir, o que é data driven e os motivos para investir nessa estratégia. Boa leitura!

O que é data driven?

Antigamente, a intuição era um dos principais sentidos de orientação dos grandes gestores. Porém, essa realidade já não se encaixa nos dias de hoje. Isso porque a maioria das empresas está se orientando por dados e tirando o máximo proveito de suas informações.

O data driven é uma estratégia na qual o gestor utiliza todo o conhecimento disponível para formular suas decisões, sem apelar para experiências pessoais, guiando-se por meio de dados concretos coletados ao longo do tempo de atuação da empresa.

Infelizmente, ainda há um grande número de gestores que não tomam suas decisões com base em dados, o que acaba trazendo riscos ao negócio. Um dos desafios é lidar com o grande número de dados gerados todos os dias.

Por isso, é preciso determinar processos eficientes para a coleta e a análise de informações, de modo que todo o conhecimento possa realmente ser utilizado de forma estratégica. Já existem soluções de inteligência artificial que automatizam boa parte das atividades.

Quais são os objetivos desse tipo de estratégia?

A cultura data driven é voltada para tornar o negócio mais focado nas demandas do mercado e com um posicionamento que leve em conta um número maior de fatores. Afinal de contas, a análise sempre tomará como base indicadores, o estado do mercado e os objetivos do negócio em médio e longo prazo.

Como consequência, a intuição deixa de fazer parte da rotina da empresa. O negócio fará escolhas mais robustas e confiáveis. Elas, naturalmente, serão seguidas com mais afinco pelos profissionais, o que leva a mais engajamento dos times na busca pelas metas da empresa.

Como adotar a cultura data driven?

Incorporar uma cultura data driven no dia a dia da empresa demanda planejamento e uma nova visão da empresa. A comunicação deve ser ativa para evitar conflitos. Ao mesmo tempo, as equipes precisam ter as soluções corretas para serem mais eficientes e focadas em resultados estratégicos.

Confira a seguir os passos necessários para ser um negócio movido a dados!

Tenha as ferramentas certas

O primeiro passo para ter uma cultura data driven é investir nas soluções adequadas de análise e gestão de dados. Softwares como o CRM, o BI e os sistemas de Big Data conseguem reduzir custos e melhorar a qualidade das análises. Além disso, abrem espaço para que os dados sejam bem armazenados e geridos por todas as equipes.

Treine os times

Os times devem ser treinados para fazerem sempre o melhor uso possível das soluções. O treinamento também ajuda a empresa a divulgar a importância de uma cultura data driven. Assim, os profissionais poderão se engajar mais nas medidas adotadas.

Priorize resultados de longo prazo

O melhor modo de utilizar o data driven é com foco no longo prazo. Assim, as decisões considerarão mais fatores e terão uma taxa de risco menor. Afinal, a empresa terá uma visão mais abrangente sobre tudo o que envolve as suas escolhas.

Foque o uso dos dados certos

O uso dos dados corretos também é importante. A empresa deve estar atenta para os registros que empregará no seu dia a dia e filtrá-los conforme os objetivos de cada análise. Desse modo, será mais fácil tomar decisões com base em uma análise com poucos registros de qualidade.

Data driven x análise de dados

A orientação por informação deve passar primeiro por uma coleta e análise de dados, visto que não há como se orientar por um conhecimento prévio se ele ainda não foi construído.

Embasamento em informações

Os dados por si só não contribuem diretamente para a construção de uma estratégia ou para as tomadas de decisão. É preciso coletar uma quantidade enorme de elementos, acerca de vários pontos do negócio, e armazená-los nos chamados Big Datas.

Antes mesmo de prosseguir com a coleta é preciso ainda definir quais são os dados relevantes para a sua empresa, para que os esforços na captação e no armazenamento desses elementos não sejam realizados à toa.

Com um grande volume de dados em mãos é possível iniciar a análise, que tem como objetivo gerar informações relevantes, que serão transformadas em um conhecimento estratégico, utilizado para as tomadas de decisão.

Por exemplo, um consumidor que fez uma compra em dezembro é um dado, a empresa teve um aumento de vendas nesse mesmo mês é uma informação resultante da análise do conjunto de dados, o negócio sempre vende mais no fim do ano é um conhecimento que pode ser utilizado para aumentar a produção nesse período.

Consumidor como foco

A maioria das iniciativas em data driven busca conhecer e entender melhor o cliente, trazendo-o para o foco do negócio e trabalhando decisões estratégicas que possam resultar em um melhor atendimento.

Isso porque, com a difusão da tecnologia, redes sociais, smartphones, internet e outros adventos da modernidade, o consumidor se tornou muito mais exigente e a qualidade não é mais um diferencial e sim uma obrigação das empresas.

Hoje, o cliente busca por uma experiência diferenciada, uma jornada de compra que possa satisfazer todas as suas expectativas, sem que ele seja abandonado no pós-compra, ou seja, que haja um relacionamento contínuo.

Com isso, muitas empresas já observaram o valor dos dados acerca dos clientes na hora de criar campanhas personalizadas de marketing e vendas ao seu público-alvo, gastando menos recursos e sendo mais eficiente.

Por que investir em data driven?

São vários os motivos que podemos citar para que um negócio volte seus investimentos para o data driven e busque se orientar por meio de informações. Mais foco nas rotinas críticas e otimização da experiência dos clientes são dois exemplos. Confira a seguir algumas das principais razões para empresas estarem migrando para essa forma de gestão.

Concentração na gestão do negócio

Alguns gestores têm dificuldade de focar a administração estratégica do negócio. Isso porque existem muitas questões operacionais o tempo todo em seu radar, que não permitem estudar as oportunidades e riscos do mercado.

Mesmo que tratar das atividades de gestão do dia a dia seja importante, é preciso também estar atento às decisões estratégicas para se adaptar ao futuro. Ao focar dados e análise de informações, as próprias ferramentas já demonstrarão boa parte dos riscos e oportunidades, cabendo ao gestor apenas a tomada de decisão.

Criação de estratégias

Ao visualizar informações relevantes por meio do data driven, o gestor poderá criar estratégias específicas para cada situação, visando melhorar os resultados da empresa e aumentar a sua receita.

Por exemplo, ao realizar análises acerca de dados coletados, é possível observar que em um determinado período do ano ocorrem baixas nas vendas. Desse modo, pode-se criar campanhas promocionais para estimular uma maior saída.

Os resultados dessa iniciativa também são coletados e analisados de forma a identificar sua eficácia e realizar alterações necessárias para melhorar o processo.

Melhoria da experiência do cliente

Coletar e analisar dados para utilizar informações relevantes para se orientar também é uma ótima forma de conhecer melhor o seu público-alvo e fornecer soluções de acordo com a sua demanda.

É possível observar em qual ponto da jornada de compra há um maior nível de rejeição, corrigindo tal falha, verificar o que o consumidor espera ao adquirir seus produtos e serviços e diversas outras questões que possam melhorar sua experiência.

Otimização de recursos

Ao se guiar por dados concretos, o gestor poderá ter uma visão mais ampla de todo o negócio, do mercado e da sua relação com os clientes. Sendo assim, suas tomadas de decisão serão muito mais corretas.

Além disso, não haverá desperdícios de recursos empregados em campanhas mal desenhadas ou criadas de forma equivocada, pois tudo será baseado em conhecimento, e não em “achismos”.

O data driven já é realidade em uma série de empresas, que têm investido cada vez mais em tecnologias de coleta e análise de dados com o intuito de melhorar sua capacidade de tomar decisões estratégicas. Elas conseguem sair na frente dos seus concorrentes por preverem mais tendências e conhecerem melhor o seu público-alvo.

Por isso, não deixe de buscar um modelo de gestão e operação que seja pautado por uma cultura data driven. Isso colocará o seu negócio à frente da concorrência e com muito mais capacidade de promover mudanças inovadoras. Além disso, agregará valor aos seus serviços, fidelizando clientes e parceiros comerciais.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Então, assine agora mesmo a newsletter do nosso blog e não perca nenhum de nossos posts!

ContatoPowered by Rock Convert

Deixe um comentário