fbpx
Evite Gargalos Através do Lead Time de Entrega

Evite Gargalos Através do Lead Time de Entrega

Não seria equivocado dizer que o lead time de entrega pode determinar a capacidade competitiva de uma empresa. Assim, no intuito de manter a saúde da operação e a lucratividade da companhia, é certamente mais adequado que o processo siga padrões já validados e consolidados.

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o assunto. Primeiro, mergulharemos no conceito específico de lead time, explorando suas aplicações. Em seguida, evidenciaremos as variáveis que podem impactar o cálculo do lead time, a fim de torná-lo mais eficaz e transparente.

Por fim, explicaremos quais estratégias podem (e devem) ser implementadas para diminuir o lead time de entrega, maximizando os retornos da empresa — em curto, em médio e em longo prazo.

Ao fim da leitura, você terá, ao menos, uma certeza: a de que é essencial manter-se atento ao lead time, garantindo que o aprimoramento constante eleve a produtividade do negócio.

Boa leitura e bons insights!

O que é e para que serve o lead time de entrega?

Em termos práticos, a expressão “lead time” é usualmente empregada na área logística, compreendendo o intervalo de tempo entre o pedido expresso do cliente e o efetivo recebimento do produto solicitado.

Pense, por exemplo, na operação industrial de ligas metálicas. Quando um cliente solicita 200kg do material, desencadeia-se uma série de necessidades: é preciso, por exemplo, garantir que a matéria-prima esteja disponível e que a fábrica funcione integralmente, sem imprevistos.

O lead time compreende todos esses aspectos e tem a missão de fixar uma data para que o pedido seja entregue. É comum que o prazo varie de acordo com o nicho de atuação e segundo a complexidade da produção, mas é fundamental que lead time não seja confundido com ineficiência.

Para assegurar a integridade das informações, tornando a tomada de decisão uma tarefa mais estratégica e produtiva, a tecnologia de gestão desponta como uma ferramenta imprescindível. Afinal, o departamento de TI é um aliado poderoso na geração de insights — sejam eles pertinentes à logística ou a qualquer outro departamento da empresa.

De forma geral, o lead time de entrega serve para balizar as expectativas dos envolvidos na transação: enquanto a empresa estabelece parâmetros para cada etapa produtiva, mantendo-se fiel ao que foi programado e mensurando os dados de cada fase, o cliente tem ciência do prazo de entrega — e pode se programar com mais assertividade.

Como calcular o lead time de entrega?

Por contemplar todas as variáveis do processo de produção, o cálculo do lead time depende de muitos fatores — além de, é claro, de um bom recurso tecnológico. É justamente por isso que esse tipo de indicador é tão importante: ao conhecer as demandas em profundidade, estabelecendo padrões para cada entrega, é possível mensurar a eficiência produtiva e, assim, otimizar os resultados da empresa.

Ao contar com um sistema integrado, poucos cliques são suficientes para detalhar cada conjunto de informações do lead time. É possível, por exemplo, verificar os prazos negociados com o fornecedor e, em paralelo, checar o fluxo de produção, identificando eventuais gargalos.

Na prática, o primeiro passo para calcular o lead time é entender quais são as informações relevantes à métrica. Confira, agora, alguns dos os principais pontos de análise.

Liste os insumos necessários

Cada projeto requer um conjunto diferente de matéria-prima. Neste ponto, vale levantar todos os insumos necessários, bem como as especificações da mão de obra e as particularidades da fábrica — reparos e manutenção preventiva de máquinas, por exemplo.

Tudo isso pode (e deve) ser padronizado em um software de gestão. Assim, as informações ficam centralizadas e podem ser facilmente acessadas pelos analistas responsáveis.

Estime o tempo médio de aquisição

Cada tipo de material demanda um tempo particular para chegar à empresa. Por isso, é tarefa do lead time compreender as diferenças e estabelecer prazos sensíveis à demanda de insumos.

O tempo médio de aquisição admite, por exemplo, o deslocamento da matéria-prima — do fornecedor ao destino final — e abre margem para acomodar algum eventual imprevisto.

Estabeleça o prazo máximo de produção

Assim que os insumos chegam à empresa, é hora de dar início à produção. O prazo máximo de produção — da primeira etapa à finalização do item — altera essencialmente a composição do lead time.

Não se trata, no entanto, de uma atividade isolada: todas as rotinas devem estar conectadas e precisam de mensuração constante. A melhor forma de viabilizar esse tipo de monitoramento é extrair relatórios completos com regularidade, explorando a capacidade analítica e tecnológica do seu negócio.

Defina o prazo de entrega seguro

Depois de acabado, o produto precisa ser efetivamente despachado ao cliente. Esse trâmite também demanda tempo e, por isso, deve fazer parte da métrica de lead time.

A depender da eficácia do meio de transporte priorizado, o prazo de entrega pode ser maior ou menor. Em qualquer circunstância, porém, certifique-se de garantir um escoamento seguro e alinhado aos recursos disponíveis. E uma dica: conte com um sistema integrado para construir o cenário mais vantajoso.

Quais estratégias podem ajudar a diminuir o lead time de entrega?

A essa altura, a importância do lead time de entrega já é bastante evidente. Ao monitorar o indicador com constância, pode-se gerenciar as operações produtivas — da chegada do pedido à entrega ao consumidor — e conferir mais segurança às decisões corporativas.

O esforço para diminuir o lead time é, portanto, justificável: a partir da calibração de processos, é possível alavancar a competitividade e maximizar os resultados do negócio. Conheça algumas das principais estratégias!

Reveja fluxos de trabalho

Considerando que a construção do lead time envolve uma série de fatores, tanto internos quanto externos, a revisão de processos é indispensável à otimização.

Na fábrica, por exemplo, é válido revisitar a engenharia de produtos para atestar a coerência dos fluxos de trabalho. Qualquer gargalo pode prejudicar o andamento da produção e inviabilizar o cumprimento do prazo.

Alinhe fornecedores

Os parceiros comerciais têm papel fundamental no lead time de entrega, uma vez que o recebimento de insumos figura como uma das primeiras etapas do processo — desencadeando a operação na fábrica e a entrega do pedido. Por isso, certifique-se de encontrar fornecedores confiáveis e empenhados com os compromissos de venda.

Explore a tecnologia

A tecnologia é uma aliada poderosa na otimização do lead time de entrega. As ferramentas integradas de gestão garantem que os líderes possam acompanhar os fluxos internos e, assim, confirmar a eficiência das rotinas produtivas, mantendo-se fiéis aos prazos predefinidos. Vale a pena investir em recursos robustos para impulsionar os retornos da companhia.

Como é possível aplicar o lead time de entrega no Lean IT?

O lead time é um conceito amplo e muito comum no dia a dia da produção. A qualidade da métrica pode, inclusive, indicar o grau de competitividade de uma organização, posicionando na vanguarda de seu mercado.

Para além disso, é importante mencionar que o lead time pode ser entendido (e empregado) como uma diretriz de padronização: trata-se de um esforço concentrado para manter a estabilidade dos processos, assegurando que o fluxo ideal de atividades seja desempenhado de forma consciente e automática.

Na prática, o Lean IT tem tudo a ver com esse tipo de iniciativa. O objetivo é viabilizar operações integradas, maximizando o valor percebido da produção — tanto interna quanto externamente. E mais: procedimentos claros e enxutos ajudam a reduzir o lead time, já que evitam os desperdícios de matéria-prima e previnem o retrabalho.

Há diversas maneiras eficientes de associar o princípio de lead time com os benefícios do Lean IT. É válido, por exemplo:

  • identificar os produtos com os maiores lead times, a fim de direcionar os planos emergenciais de melhoria;
  • levantar e analisar as atividades envolvidas, visualizando os lead times e verificar se existem gargalos prejudiciais à produção;
  • elaborar um plano de padronização, atuando diretamente na melhora do lead time e, claro, no ganho de valor na cadeia produtiva.

Diante disso, a avaliação do lead time de entrega funciona, sem dúvidas, como uma ferramenta de produtividade — já que associa tecnologia, processos e resultados. Quando os processos estão padronizados e, desde a sua formatação, seguem diretrizes transparentes e validadas, fica mais fácil nortear e controlar o desempenho da empresa, assegurando a performance de todas as áreas envolvidas.

O conteúdo foi útil e ajudou você a repensar prioridades e estratégias no lead time de entrega? Ótimo! O próximo passo é, de fato, buscar soluções capazes de agregar vantagens competitivas à rotina operacional de desenvolvimento. Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo. Sucesso e até breve!

ContatoPowered by Rock Convert

Deixe um comentário