Metodologia Ágil x Metodologia Tradicional – entenda as diferenças

Os segmentos de mercado acompanham as tendências incorporadas aos novos ciclos econômicos, sendo, nesse contexto, necessário ter medidas adaptáveis, rápido aprendizado e adoção de estratégias modernas. A metodologia ágil é, portanto, um processo cada vez mais relevante no gerenciamento de projetos corporativos.

Trazendo vantagens para a organização, a metodologia ágil se difere da tradicional principalmente por ampliar os benefícios para o cliente e trazer um planejamento flexível para os times, integrando a multidisciplinaridade e o constante desenvolvimento.

Confira quais são as principais distinções entre a metodologia ágil e a tradicional e saiba como usar cada uma delas no ambiente organizacional!

O que é metodologia ágil?

Focada em um modelo de abordagem mais dinâmico, com a metodologia ágil o desenvolvimento dos processos são alinhados a um programa colaborativo, concentrado em velocidade e na flexibilidade. A metodologia ágil emprega softwares inteligentes, com capacidade ampla de atuação. Os profissionais, assim como as ferramentas, operam de modo interativo, tendo grande participação do time nas tarefas.

As funcionalidades mínimas podem ser entregues aos clientes antes do fechamento total do projeto, esse pode ser, inclusive, dimensionado em etapas ou entregas parciais. Tal procedimento facilita a resolução inteligente de programas, evitando também erros e falhas decorrentes do processo.

O que é metodologia tradicional?

A abordagem tradicional trabalha com mais enfoque e de maneira mais hierarquizada. Diferente da metodologia ágil, a tradicional opera com modelos de demandas conhecidos como “cascata”, nos quais as etapas são mais rígidas e programadas. Nesses modos, o processo é sequencial e focado no resultado final, não há abertura para implementações em conjunto com o cliente durante o desenvolvimento. Os requisitos são determinados na fonte, de modo mais específico.

Tida por alguns como uma técnica ultrapassada, ela pode ser importante para estruturar o planejamento nas empresas que operam com grandes equipes, projetos muito específicos e em momentos de transição.

Quais as ferramentas de cada uma das metodologias?

Divisão de demandas

O planejamento feito pelo método tradicional não admite mudanças em seu intercurso. Por isso, as demandas são fracionadas de acordo com a especialização de cada profissional, ficando cada um responsável por uma parte do projeto. A metodologia ágil utiliza práticas as quais o time discute e elabora em conjunto para a entrega do produto final. As solicitações são distribuídas conforme o desempenho base de cada colaborador, garantindo um planejamento mais viável de acordo com o perfil dos envolvidos.

Desenvolvimento de estratégia

Campanhas de longa duração, como as tradicionais, possuem quadros que são desenhados desde o início. A tradicional não busca feedbacks durante o processo, deixando para analisar os riscos após a implementação dos projetos. As estratégias do modo ágil prevê testes para avaliar a aplicação de sua campanha, desenhando os tópicos importantes, no primeiro momento, e acompanhando conforme o passo em desenvolvimento.

Continuidade de processos

A implementação de projetos depende também de sua efetividade real para as empresas, muitas vezes necessitando de adaptações, reparos ou mesmo de reformulações segundo a demanda apresentada.

Na prática tradicional, essa complementação significa uma nova etapa no projeto, representando frequentemente um novo custo, planejamento e incorporando outros times em sua realização. Sistemas muito complexos, por exemplo, precisam de mais tempo para usar elaboração e este é o modo mais utilizado para continuidade.

Já na visão ágil, há um fluxo contínuo determinado pelas etapas de desenvolvimento, permitindo que sejam monitoradas em curto prazo de tempo. Assim, as adequações podem ser feitas com o processo de elaboração em curso.

Planejamento dos projetos

Planejamento e produtividade são fatores relacionados e, por isso, a importância de estarem alinhados às estratégias da organização. O planejamento mais tradicional trabalha a longo prazo, definindo as metas com a maior riqueza de detalhes. Nesse método, os recursos são direcionados de antemão, tendo em vista o calendário proposto pelos coordenadores.

Na metodologia ágil, o planejamento possui flexibilidade, analisando cada ciclo produtivo para poder elaborar os próximos passos. A confiança, nesse caso, é um ponto muito relevante para o planejamento. Ou seja, identificando falhas no gerenciamento e na aplicação das tarefas ou lacunas de comunicação, ele deve ser revisto e reformulado de acordo com os dados coletados.

Gestão e habilidades

Como já foi dito, a hierarquia é muito importante para a implementação do método tradicional. Sendo assim, o líder responde de modo mais direto e determina mais do que dialoga ou articula.

No modo ágil, a gestão é compartilhada de forma horizontal, dando voz aos colaboradores e trazendo a procura por soluções de forma participativa. Para este modelo, é imprescindível ter um time com habilidades múltiplas, para que todos possam interferir ativamente e trazer, cada um, a sua experiência, a fim de determinar o direcionamento dos projetos.

No modo tradicional, as especializações são requeridas, uma vez que se trabalha com um foco mais restrito e problemas que demandam aprofundamento por uma equipe técnica de alta capacidade. Para ter sucesso na autogestão dos processos, é essencial que os profissionais sejam capacitados e aprendam a dialogar sem conflitos e focados nos resultados.

Como saber qual metodologia adotar?

Não há como definir de modo absoluto que uma metodologia é mais adequada para uma organização do que outra. Antes de sua adoção, devem ser analisados alguns detalhes, como o perfil do projeto a ser desenvolvido, a capacidade do time e a disponibilidade do cliente para a elaboração conjunta de metas.

As duas metodologias podem ser utilizadas quando a empresa entende qual a mais produtiva para os seus projetos. Para isso, são essenciais profissionais capacitados na identificação e no direcionamento dos empreendimentos, conforme a técnica adequada.

A metodologia ágil agrega os valores mais presentes nos modos contemporâneos de trabalho, com foco na inovação, criatividade e colaboração. Embora alguns coordenadores evitem usar a tradicional, ela pode ser muito bem aplicada em casos específicos, nos quais as normas são mais rígidas e a estrutura da empresa cliente não se adéqua à prática ágil.

O segredo para o sucesso da aplicação dessas técnicas é estudá-las a fundo, para definir com menos tempo e com domínio das capacidades de cada uma delas.

E então, o conteúdo deste artigo foi útil para você? Conte para gente e deixe um comentário ao final do texto!

2018-10-17T17:27:28+00:000 Comments