Gerenciar o planejamento, desenvolvimento, execução e correções de softwares representa uma tarefa complexa e, há muito tempo, utiliza-se recursos e metodologias de gestão de projetos para simplificar e agilizar os serviços. Mas isso não era o suficiente, uma vez que muitas dessas ferramentas não integram todas as operações de forma adequada. Eis que surge o ALM.

Era preciso uma ferramenta mais voltada para o segmento de TI, onde os processos de planejamento, desenvolvimento e testes pudessem ser feitos pelos profissionais de forma integrada, sem prejudicar os sistemas já em funcionamento.

Você sabe o que é ALM? Neste post, vamos explicar o que ele representa de fato, como funciona, os seus benefícios e, claro, a sua relação com o DevOps. Continue lendo e saiba mais sobre o assunto.

O que é ALM?

ALM é uma abreviação para “Application Lifecycle Management” que, ao pé da letra, significa “gerenciamento do ciclo de vida de aplicativos”. Refere-se à capacidade de integrar, coordenar e controlar as diversas fases de desenvolvimento de um software até a entrega. É uma espécie de união entre gerência de negócios com engenharia de software. Ou seja, os processos de definição, design, desenvolvimento, testes, implantação, gerenciamento de softwares, gerenciamento de requisitos, garantia de qualidade, atendimento ao cliente e a entrega dos serviços de TI podem ser monitorados e controlados mais de perto com ele.

Há, também, uma integração entre esses pontos citados anteriormente, de forma a oferecer processos mais holísticos, uma tendência cada vez maior nos mais diferentes mercados, e que, na área de TI, torna-se fundamental no presente momento. Então, em essência, as ferramentas ALM fornecem um ambiente padronizado para a comunicação e colaboração entre equipes de desenvolvimento de software e departamentos relacionados, como testes e operações, abrangendo todo o ciclo de vida, desde a concepção da ideia, até o encerramento das atividades do software.

Alguns conceitos que estão interligados com as ferramentas ALM são:

·        integração contínua;

·        metodologia ágile;

·        automatização.

Normalmente as ferramentas contidas no ALM são separadas em três áreas distintas:

·        governança;

·        desenvolvimento;

·        operações.

Normalmente são aplicadas com maior intensidade no setor de operações. Porém, todos os times da área de TI podem obter diversos benefícios com a aplicação das ferramentas do ALM em suas rotinas, sendo aplicado desde o início da elaboração do projeto.

O ALM é formado por três pilares principais, que auxiliam na sustentação do seu negócio. São eles:

·       as pessoas;

·        os processos;

·        a tecnologia.

Caso os três pilares acima não estejam alinhados e bem-definidos, o uso das ferramentas ALM é ineficaz. Por isso, é importante garantir que esses três pontos citados anteriormente estejam estabelecidos de forma precisa e devidamente integrados para que se possa implementar a ferramenta de forma eficiente. Caso contrário, há um grande prejuízo na aplicação deste processo.

Como funciona o ALM?

Em vez de um conjunto de tarefas separadas, onde os analistas do software trabalham sem integração para definir a visão e os requisitos necessários, distribuindo a tarefa do design aos desenvolvedores, os códigos aos testadores, e o produto para a equipe de suporte de TI implementar e mantê-lo, você agora tem um único processo que abrange todos esses elementos, oferecendo um trabalho contínuo e sempre com novos recursos. Vamos considerar alguns dos principais componentes do ALM para você entender melhor como ele funciona em cada etapa. Acompanhe.

Planejamento

As ferramentas do ALM oferecem funcionalidades que ajudam a planejar os seus projetos com alta precisão, dando a opção de programar tarefas técnicas individuais ou em grupos, que podem ser agregadas de volta aos requisitos originais especificados. Se você tiver um conjunto de tarefas muito complexas, pode planejar um fluxo de trabalho onde todas as tarefas atribuídas seguem um padrão específico de sequência, podendo fazer uma engenharia reversa com mais facilidade para descobrir falhas e oportunidades de melhorias.

Gerenciamento de Requisitos

O ALM apresenta funcionalidades que ajudam a entender melhor quais são os seus requisitos e permitem adaptar suas metodologias e processos a ele, não o contrário. Algumas ferramentas ALM suportam a captura e gerenciamento de casos de uso do sistema como parte do processo de definição de requisitos. Os casos de uso podem ser armazenados no sistema com os cenários e links associados a outros requisitos que o caso de uso defina. Dependendo das necessidades da equipe de trabalho, isso pode ser uma característica importante.

Desenvolvimento de softwares

Embora a função de desenvolver e escrever códigos não seja considerada parte fundamental do ALM, você pode contar com a funcionalidade de gerenciamento de código-fonte integrada à ferramenta.

Testes e garantias de qualidade

Um dos atributos-chave que distingue o ALM de outros instrumentos de gerenciamento de projetos é que ele inclui a parte de QA (Quality Assurance) no processo de desenvolvimento de softwares, permitindo que você crie e gerencie seus testes em pastas, com recursos de classificação e filtragem. Permite também que os usuários visualizem os testes em andamento e finalizados, dando aos gestores a oportunidade de definir propriedades personalizadas que podem ser utilizadas no decorrer do projeto.

Com o ALM você pode definir etapas e parâmetros de testes específicos para cada caso e, se você precisar gerenciar uma equipe de QA grande, trabalhando em diferentes regiões geográficas, consegue estabelecer um controle e comunicação mais eficientes por meio do monitoramento das atividades online.

Como identificar se preciso aplicar ALM em minha empresa?

Você deve estar se perguntando: mas eu realmente preciso aplicar essa ferramenta em meu negócio para que o processo de desenvolvimento de software seja bem-sucedido? Vamos explicar como você pode identificar essa necessidade. É preciso ter consciência de que o processo de produção de software, nos tempos atuais, é bem complexo, exigindo a interação de diversos atores e equipes. Além disso, há diversos tipos de consumidores e diversos dispositivos no mercado. Assim, exige-se atenção no fazer dessas soluções, bem como minimizar erros e garantir entregas cada vez mais ágeis e precisas.

Além disso, as soluções geram cada vez mais dados, com os quais os desenvolvedores devem saber lidar ao longo do tempo. Assim, há uma certa dificuldade em conseguir atender às demandas do mercado com eficiência. Se a sua empresa passa por isso, é um grande indicativo da necessidade de aplicar ALM em seu negócio, como uma forma de otimização de processos e potencialização de eficiência.

Quais são os benefícios do ALM?

Entre os principais benefícios que a ferramenta de ALM oferece, podemos destacar alguns dos principais.

Não exige interrupções do processo

O ALM possibilita que manutenções e atualizações sejam feitas nos softwares sincronizando os novos requisitos com os atuais. Tudo de forma acelerada e com análise automática do impacto gerado com as mudanças. A partir do momento que não há interrupções no processo, há uma redução dos custos operacionais, já que as paralisações levam a um maior custo por hora de trabalho, conseguindo otimizar os gastos.

Permite testes automatizados

À medida que as aplicações se tornam cada vez mais complexas, a necessidade de testes abrangendo uma ampla variedade de plataformas e tecnologias (offline, online e móveis) aumenta, dificultando os testes e análises manuais. Nesse contexto, as ferramentas presentes no ALM contribuem bastante, dando o suporte necessário para a realização de testes automatizados. Também auxilia na exatidão do teste, garantindo maior eficácia nessa parte do processo.

Possibilita testes mais alinhados com o objetivo do cliente

O ALM permite que os testes de software sejam realizados não só para testar as funcionalidades em si do projeto, mas também para alinhá-lo com as expectativas, necessidades e objetivos definidos pelo cliente final. Assim, as chances de conseguir atender — e, até mesmo, superar — suas expectativas aumentam, conseguindo entregar um produto que realmente faça a diferença para o usuário.

Aumenta a produtividade

Por meio da integração das tarefas, os profissionais ganham ferramentas que possibilitam a maior interatividade entre eles, independentemente de onde estejam. Isso contribui para a colaboração mútua, um fluxo de trabalho contínuo com as melhores práticas de desenvolvimento de softwares, o gerenciamento de tarefas executadas paralelamente e o reaproveitamento de rotinas de testes configuradas.

Agiliza processos

Com ferramentas que ampliam o potencial do gerenciamento de recursos e tarefas, o ALM permite um desenvolvimento mais acelerado de softwares, integrando os processos de forma simplificada e agregando um workflow (fluxo de trabalho) de maior fluidez.

Aumenta a qualidade de processos

Os processos não são feitos apenas de forma rápida, mas também com maior qualidade. Isso porque existe uma maior transparência na apresentação do projeto. Além disso, ferramentas de testes que estão integradas ao ALM auxiliam a proporcionar testes mais precisos e de maior qualidade nas soluções criadas, minimizando erros e permitindo fornecer um produto melhor para o cliente.

Facilita aplicação dos métodos ágeis

Considerando o que falamos acima, a ferramenta permite acelerar o desenvolvimento de soluções por meio de aplicação de métodos ágeis, em concomitância com ALM e outras metodologias e conceitos (como o DevOps, por exemplo).

Melhora a interatividade

Por meio do incentivo a um ambiente colaborativo, uma comunicação direta e sem gargalos e um fluxo de informação mais fluido, é possível conseguir um ambiente mais interativo por meio do ALM. Esse tipo de potencialidade ocorre independentemente de onde o time se encontre — ou seja, ele possibilita até times remotos interagirem com maior facilidade.

Facilita o trabalho em equipe

Considerando o que falamos acima, podemos colocar, também, como vantagem, um incentivo ao trabalho em equipe. Além da interatividade entre os membros ser facilitada, bem como a comunicação entre eles, independentemente de sua localização, o ALM também permite um gerenciamento de tarefas de forma mais transparente e simples, tornando o processo mais acessível.

Proporciona a previsibilidade de falhas

O ALM propicia as ferramentas necessárias para testes mais precisos, bem como previsibilidade de falhas mais acertadas, de forma a reduzir a necessidade de refação a longo prazo, conseguindo entregas mais ágeis e precisas para o cliente.

Reduz o tempo de manutenção

O ALM propicia a sincronização entre novos requisitos com os antigos, reduzindo o tempo de manutenção dos recursos. Além disso, permite a identificação imediata do impacto das mudanças, conseguindo atenuar possíveis problemas que possam surgir, minimizando chances de prejuízos.

Como é a relação entre o ALM e o DevOps?

DevOps é a junção das iniciais “Dev” de “desenvolvimento” e “Ops” de “operações”. Permite que a realização de tarefas pelas equipes de operações e de desenvolvimento ocorra de forma integrada. Antes, os desenvolvedores de softwares precisavam do auxílio de profissionais de TI para construírem e disponibilizarem um ambiente personalizado para a realização de cada tarefa em cada projeto, englobando o planejamento, desenvolvimento e testes.

Agora, com cada vez mais aplicativos sendo hospedados em nuvem e os ciclos de lançamentos medidos em dias e não meses, fica difícil desenvolvê-los e testá-los isoladamente. Você precisará testar as novas atualizações em um ambiente que permita integrar também outros projetos. Nesse caso, o DevOps é a chave para tornar isso realidade.

Ou seja, o DevOps aumenta o nível de integração, estendendo-o do desenvolvimento às operações, o que significa que ele realmente combina com a gama de ferramentas oferecidas pelo ALM. Assim podemos dizer que o ele é, por definição, o resultado final da implementação do ALM. Resumindo, alinhando o ALM ao seu DevOps, você agregará maior potencial de eficiência às operações e, consequentemente, trará melhores resultados aos seus projetos de desenvolvimento de softwares.

Quais as diferenças entre ALM e DevOps?

Mesmo que ocorra a relação entre ALM e DevOps, é essencial entender que um não é sinônimo do outro. Há diferenças sutis entre eles e, por isso, você deve compreender bem o que é cada um. Como falamos no início do artigo, ALM é um modelo de gerenciamento do ciclo de vida de uma aplicação, ou seja, é o controle dos processos, que vão desde a concepção da ideia do software até a sua concretização, sendo a união entre gerência de negócios e engenharia de software.

Já DevOps é um conceito que orienta as ações dos times de desenvolvimento e operações, de forma a realizarem trabalhos conjuntos na elaboração de soluções, auxiliando no trabalho colaborativo entre os membros. Isso é importante, já que a separação estanque dos times atrapalha o resultado final, já que há dificuldade em facilitar o trabalho do outro time.

Essas explicações já apontam uma diferença fundamental: um diz respeito a um modelo de gerenciamento, enquanto o outro é um conceito mais abrangente que norteia o modo de fazer entre dois times distintos, para que possam trabalhar de forma colaborativa. Mas então, um está dentro do outro? Na verdade, não. São complementares. Enquanto um diz respeito a um conjunto de ferramentas, o outro aborda um conceito, e, quando são trabalhados em conjunto, permitem uma melhor administração no desenvolvimento de softwares.

Agora que você já sabe o que é e como funciona o ALM, que tal implementá-lo na sua empresa? Entre em contato com a gente agora mesmo e veja como podemos ajudar!